adfpg29-111Com a nova sede pronta e oficialmente inaugurada, o próximo passo da Associação dos Deficientes Físicos de Ponta Grossa (ADFPG) é a construção de um centro de reabilitação. O projeto já está pronto, falta somente adequá-lo ao terreno que tem cerca de 450 metros quadrados.

 

 

 

Segundo o presidente da Associação, Marcos Aurélio Soares, a construção deve começar no início do próximo ano. O responsável pela obra é engenheiro Hudson Zanone.
 

O centro de reabilitação contará com consultório médico, odontológico, atendimento psicológico, sala de fisioterapia e piscina. Segundo o presidente, a prioridade será a fisioterapia, que ocupará 60 metros quadrados da área, mas com possibilidade para ampliação.

Para fazer o atendimento médico, a ADFPG pretende negociar um convênio com o Sistema Único de Saúde: "O centro de reabilitação irá desafogar um pouco a saúde da cidade, já que os associados poderão ser atendidos na sede", diz o presidente.

Segundo Marcos Aurélio, a importância da nova instalação será a acessibilidade: "É importante porque o deficiente precisa de transporte para ter atendimento. Com o centro, ele já vai estar dentro da entidade e de fácil acessibilidade".

A assistente social Ana Teresa da Cruz explica que a importância da sede está na facilidade e agilidade da reabilitação: "Nós temos casos em que a pessoa sofre um acidente e, às vezes, demora até cinco anos para ela começar vir à associação para receber um atendimento especial". Segundo ela, com o centro de reabilitação, a ADFPG pretende fazer convênios de forma que essas pessoas sejam encaminhadas o mais rápido possível para a reabilitação.    


A ADFPG fará projetos que serão enviados para o governo municipal, estadual e federal para adquirir recursos para a obra. Porém, Marcos Aurélio afirma que não pretende ficar esperando: “A gente sabe que esses recursos não saem da noite para o dia, então a gente já vai tentando doações para iniciar as obras”.

Uma das alternativas da associação é pedir doações em empresas da cidade e à Receita Federal produtos apreendidos em operações de fiscalização para venda em bazar: “Para a construção da sede, nós fizemos uma bazar esperando arrecadar 45 mil e conseguimos 60 mil. É importante conseguirmos fazer esse bazar”. Outra forma de obtenção de renda é própria lanchonete da ADFPG, localizada no Terminal Rodoviário de Ponta Grossa.