Com mais de 40 atletas, Município participou da primeira edição dos Jogos Paradesportivos do Paraná apenas no basquete, atletismo e xadrez e conquistou 21 medalhas de ouro, três de prata e uma de bronze.
Leia também:
Invictos, Tubarões conquistam ouro no ParaJAP’s
Atletismo da APADEVI traz medalhas para Ponta Grossa

Depois de seis dias de competição, chegou ao fim a primeira edição dos Jogos Paradeportivos do Paraná, o ParaJAP’s. A competição reuniu entre os dias 4 e 9 de dezembro, na cidade de Londrina, cerca de mil e duzentos paratletas de 24 municípios, que puderam competir em 20 modalidades. Entretanto, Ponta Grossa participou apenas de três modalidades e levou menos de 50 atletas para a competição.

Apesar da baixa participação, o município alcançou alguns resultados expressivos. Foram 21 de medalhas de ouro, três de prata e uma de bronze, totalizando 75 pontos e o sétimo lugar geral da competição.
 
O secretário de esportes do município, Marcelo Martins, ressalta que a secretaria fez o máximo que pode para auxiliar as equipes que queriam representar o município. Entretanto, ele diz que apesar das entidades ponta-grossenses ofertarem diversos esportes, a procura é baixa e, geralmente, quem pratica um esporte participa de todos.

“A mesma pessoa que joga basquete é aquela que pratica tênis de mesa e outros esportes, por isso, preferimos que ele jogue o esporte que ele mais gosta ou aquele em que ele tem mais chances de conseguir a vitória”, explica Martins.

O presidente da Associação Ponta-grossense de Esportes para Deficientes Físicos, Alexandro Pirajá de Paula, fala que os prazos e o diálogo entre entidades e municípios foram uma dificuldade.
 
“O prazo foi curto. O município teve praticamente 15 dias para procurar as entidades e fazer as inscrições dos atletas. Felizmente, a secretaria de esportes agiu rápido e conseguimos inscrever muitos paratletas”.

Para o técnico da equipe de basquete para cadeirantes, Ben Hur Chiconato, outra dificuldade é que o esporte para os portadores de necessidades especiais não é visto como algo de rendimento. “As entidades tem que parar de ver o paradesporto apenas como assistencialismo. O esporte é mais do que isso, é algo de rendimento e que pode formar campeões”.

Avaliação é positiva

A Secretaria de Estado do Esporte (SEES) avalia positivamente a primeira edição dos Jogos. Segundo o coordenador da competição, Décio Calegari, o resultado foi melhor que o esperado nessa primeira edição. Segundo ele, agora o principal objetivo é incentivar mais municípios e pessoas participarem.

“Durante o próximo ano, pretendo visitar vários municípios do estado e tentar incentivar eles criarem um setor dentro das secretarias de esporte que cuide apenas do paradesporto. Se isso acontecer, a participação nos jogos, certamente, aumentará”, explica.

Ben Hur Chiconato também avalia de forma positiva os jogos. “Foi excepcional. A competição é um incentivo a mais para os paratletas treinarem. Muitas vezes eles perdem o interesse por apenas treinarem e não terem competições para disputar”.

Arquivo Comunitário:
Após impasse, Tubarões irá representar Ponta Grossa no ParaJAP’s

Outros links:
Primeiro campeão do ParaJAP’s