A Associação Pontagrossense de Emancipação para Deficientes (Apedef) ampliou sua área de atuação. Agora, além de se dedicar aos esportes, visa à emancipação de pessoas com deficiência. Para isso, transformou a sede em uma casa com cinco leitos disponíveis e investe em programas de capacitação profissional.

 

Durante o começo deste ano, a Apedef realizou reformas em sua sede. O objetivo foi ampliar o local e fazer da associação uma Casa-Lar. Ou seja, a entidade passa a funcionar também como casa para pessoas com deficiência que não têm onde morar. Para isso, pretende aumentar a oferta de vagas.


O presidente da entidade, Alexandro de Paula, afirma que as reformas na sede estão alinhadas com uma mudança mais ampla: “Antes, a associação se dedicava mais aos esportes, agora há um projeto de expandir nossa capacidade de acolhimento. Por isso houve a necessidade de adaptação do espaço”.


O dinheiro para reestruturar a sede veio com a ajuda de parceiros da comunidade e também da fundação Pró-amor que, segundo o presidente, sempre auxilia a entidade.


A assistente social Salete Miranda conta que aconteceram mudanças estruturais, com a criação de uma sala de estar e a adaptação dos espaços administrativos, que se tornaram quartos para permitir o acolhimento de mais pessoas.


“Queremos reinserir essas pessoas na sociedade. Tentamos dar condições para que eles se capacitem e possam se emancipar. O esporte é só uma das atividades que ajudam nesse processo”, relata Salete.
A casa ainda está à espera de moradores para os novos quartos. Quatro dos cinco leitos disponíveis estão desocupados.


Por enquanto, apenas a atleta Carmem Santos, conhecida como Xuxa, reside lá, desde março de 2013. Ela compete pela equipe de atletismo da associação e detém o recorde pan-americano de arremesso de peso.
“Percebi que a Apedef nos recebe de braços abertos e realmente se preocupa com o bem-estar dos associados”, conta.

Arquivo comunitário:
08/08/2013 - Novas propostas da APEDEF pretendem alcançar jovens e ir além dos esportes