A Associação Paranaense de Emancipação para Deficientes (APEDEF), conhecida pelas equipes paraolímpicas de atletismo e basquete, disponibiliza uma nova modalidade para os membros. Já faz um mês que o grupo oferece a prática de remo adaptado, em parceria com a Liga de Remo do Estado do Paraná (REMOPAR).

 

 

O grupo leva os atletas para praticarem no Parque Náutico de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Desde o início da atividade, em maio, a equipe treinou lá duas vezes. A modalidade consiste em uma adaptação do remo, que é um esporte olímpico parecido com a canoagem. Uma das diferenças é que enquanto as competições de canoagem são individuais ou em dupla, no remo podem competir equipes de até seis pessoas, de acordo com a deficiência, categoria e modalidade.

“Aqui no Paraná o remo ainda é pouco reconhecido”, afirma a atleta e coordenadora da equipe em Ponta Grossa Carmem Silva, conhecida como Xuxa. Ela também afirma que um dos objetivos da parceria é levar o esporte para outras cidades do estado.

Cinco atletas da APEDEF de Ponta Grossa praticam a modalidade. Um deles é Rafael Schwab. O esportista esteve presente nos primeiros treinos da equipe em São José dos Pinhais e garante que apesar da Associação oferecer moradia, a pessoa com deficiência não quer ficar apenas em casa. “É muito bom porque é uma modalidade diferente, e isso mostra que os deficientes podem praticar qualquer esporte”, opina.

As datas de treino em Curitiba dependem da agenda do Parque Náutico, que fica sob responsabilidade do coordenador de programas sociais da Remopar, Kalil Boabaid.