Neste sábado, 28, membros da APP-Sindicato de Ponta Grossa, convoca a todos os educadores municipais para uma Assembleia Geral Extraordinária em resposta ao governador Beto Richa, pelo não cumprimento de do pagamento da dívida de mais de R$48 milhões, aos trabalhadores em educação, como prometido no dia 30 de agosto em resposta a paralisação estadual que foi aderida por mais de 95% da categoria.

 

 

O compromisso assumido pelo governo era de efetuar uma folha complementar até o  dia 13 de setembro. Folha esta com a implantação dos 0,6% do Piso dos professores, a implantação de todas as promoções dos funcionários e funcionárias da Educação, bem como os 3,8% relativos ao enquadramento promovido pela adequação no Plano de Carreira do Quadro dos Funcionários da Educação Básica (QFEB).

De acordo com a direção da APP, no mesmo dia da paralisação, os membros da categoria alertaram que se o governo não antecipasse os pagamentos necessários, os educadores iriam ficar acampados em frente ao Palácio Iguaçu para fazer pressão. “É importante que o governo cumpra o prometido, mas a categoria permanece em alerta até o recebimento”, comenta a presidenta da APP-Sindicato, professora Marlei Fernandes de Carvalho.

Sem atendimento por parte do governo às reivindicações, os educadores se encontram neste sábado para a realização da Assembleia Estadual. Segundo a presidenta da APP, “a Assembleia será um espaço de ampla avaliação da categoria sobre a luta e os resultados do último período bem como dos próximos passos de nossa luta”.