Neste dia em que ocorreria a eleição para diretores das escolas estaduais, uma paralisação leva os trabalhadores às ruas do estado. De acordo com a APP-Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná, o ato ocorre para cobrar respeito a direitos adquiridos e também o cumprimento de compromissos assumidos pelo governo.

 Em Ponta Grossa, será realizada uma caminhada até o Núcleo Regional de Educação. A concentração acontece na praça Barão do Rio Branco, às 9h. 

“O objetivo é que o governador perceba toda a sua contradição. Ele modificou a lei, prorrogando o mandato dos diretores. Nós não temos nada contra os diretores e diretoras. O que nós não podemos permitir é que ele mude a lei”, afirmou a presidente da APP em Ponta Grossa, Vera Rosi Lopes.

O site da APP-Sindicato elenca uma série de pontos que, segundo a entidade, já deveriam estar em andamento. Entre eles, “o do pagamento de avanços de 2014 relativos à carreira (que deveriam ter sido implementados); o não pagamento das bolsas do PDE; o atroz fechamento de escolas pelo Estado; a morosidade com relação implantação de um atendimento à saúde, de qualidade, para os(as) servidores(as); a superlotação de salas; o excesso de burocracia; e a falta de funcionários(as) nas escolas”.

Para Curitiba, está programada uma manifestação estadual. “Nós estamos convocando um grande ato estadual, com a concentração no Centro Cívico, em frente ao Palácio Iguaçu. Vamos fazer uma manifestação ali, colocando a denúncia da gestão democrática das escolas, pela modificação da lei da eleição dos professores que o governo atropelou recentemente”, explicou o presidente geral da APP, Hermes Leão.

Outros professores também manifestam insatisfação com os atos do governador. “Acho que o governador deveria respeitar as leis que ele mesmo assina”, afirma o professor Moacir Matos.

A equipe de reportagem do Portal comunitário tentou entrar em contato com a Assembleia Legislativa do Paraná para saber o posicionamento do  presidente Valdir Rossoni sobre a paralisação, visto que, na pauta da manifestação dos professores, um dos pontos é a "falta de respeito" que ocorreu no interior da Alep durante a votação do projeto de prorrogação do mandato dos diretores, no dia 4/11. Mas não conseguimos obter resposta até o momento da publicação desta matéria.

Arquivo comunitário
04/11/2014 - APP-Sindicato se posiciona contra prorrogação do mandato dos diretores