Professores reclamam que ainda não conseguiram pegar aulas para preencher a carga horária

Professores retornam às salas sem a grade de aulas completa

O calendário de aulas da rede estadual de ensino foi retomado nesta quarta-feira, dia 15. No entanto, algumas escolas ainda têm a grade de aulas incompleta por falta de professores. O atraso ocorreu devido à paralisação, no último dia 9, do sistema de distribuição de aulas no Estado do Paraná.

 

O sistema foi retomado somente a partir da tarde de segunda-feira, dia 13. A professora Vera de Morais, presidente da APP em Ponta Grossa, informou que “as aulas retornaram normalmente, mas cerca de 11% dos professores do estado ainda não pegaram todas as suas aulas. Isso representa cerca de 10 mil profissionais”.

Hevilton Wisnieski, professor na rede estadual há três anos, conta que ainda não conseguiu pegar todas as aulas para completar a grade. “Eu estou concluindo o meu mestrado e muitos professores, que fizeram cursos mais rápidos de pós-graduação, tiveram preferência na escolha das aulas. Portanto, ainda não tive a oportunidade de pegar as minhas aulas e como sou contratado [PSS] existe uma grande chance de ficar desempregado esse ano”, conclui.

O embate entre professores e o Governo do Paraná começou com a proposta de redução das chamadas horas-atividade, que são o tempo que o professor utiliza para a preparação das aulas. A justificativa do governo é de que assim os professores passariam mais tempo dentro das salas. Sobre isso, Morais afirma que, “apesar da justificativa do governo, a proposta é mais uma desculpa para precarizar o trabalho dos professores que terão que assumir mais aulas, em escolas diferentes e com menos tempo para preparação.”

A situação é ainda mais complicada quando se trata dos professores contratados, os chamados PSS. Nesse caso, a proposta do Governo é de redução do quadro de profissionais. Para o professor Rodrigo Guidini, a medida não é eficiente porque interfere no trabalho dos professores concursados. “A proposta é de reduzir o número de PSS, aumentando a carga horária dos professores concursados. Isso interfere diretamente na qualidade do trabalho do professor que terá mais turmas, menos tempo de preparação e estará mais esgotado para lecionar o conteúdo da disciplina durante o ano.”

A direção da APP Sindicato afirma que mesmo com o retorno das aulas, já existe uma paralisação marcada para o dia 15 de março. “É um momento de conscientização. Infelizmente, não poderemos retomar às aulas com a qualidade que deveríamos. Porém, o calendário segue normalmente até o momento agendado para essa paralisação”, afirma Morais.

Arquivo Portal Comunitário
08/02/2017 - Problemas na distribuição de aulas da rede de ensino do Estado do Paraná
21/10/2016 - Programa Escola 1000 gera polêmica