A Associação Artesanal do Excepcional de Ponta Grossa (Assarte) atende 67 alunos com deficiência intelectual e com idade de 16 a 45 anos. Por detrás de sorrisos tímidos, se encontram personalidades carismáticas. É notável o esforço pela superação do limites na busca por expressar suas experiências e anseios.

Formação profissional busca inserir deficientes intelectuais no mercado de trabalho

Desconhecimento e negligência por parte dos pais podem comprometer a inserção social

A Associação Artesanal do Excepcional (Assarte) está em fase de organização do evento, que é uma das atividades mais importantes e tradicionais da instituição. A entidade é responsável por garantir o bem-estar e novas perspectivas de vida para pessoas com deficiência.

A Associação Artesanal do Excepcional (Assarte) está assumindo a diretoria da antiga instituição Lar Odilon Mendes, que abriga vinte meninos de várias idades com deficiência intelectual e transtornos de alta complexidade, atualmente localizada na Vila Estrela. Entre as medidas iniciais, está a mudança da sede para o Centro e reestruturação do quadro de funcionários.

Promovido pela diretoria da escola da Associação Artesanal do Excepcional de Ponta Grossa (Assarte), localizada no bairro Órfãs, um bazar beneficente movimentou a instituição na última semana, entre os dias 23 e 28 de março. O bazar funciona com a venda de roupas e sapatos doados pelas famílias dos alunos frequentadores da instituição.

Desde 2010 a Assarte deixou a condição de associação para passar ao nível de s municipal. Mesmo com a mudança a escola segue oferecendo atividades que, gradualmente, inserem os alunos na sociedade.