astrama1-26-04-11Tijolos ecológicos, móveis, roupas de bebê e caminha para cachorros, tudo feito artesanalmente. Este é o trabalho da ASTRAMA, associação de trabalhadores manuais ligada à Igreja São José, que há quatro anos trabalha com a comunidade.




 

A Associação dos Trabalhadores Manuais (ASTRAMA) trabalha há quatro anos com marcenaria, costura e fabricação de tijolos ecológicos. O início das atividades aconteceu na garagem da paróquia da igreja São José no ano de 2008.

A associação conta com oito pessoas: três na fábrica de tijolos, dois na marcenaria e duas costureiras. Hoje, além da igreja São José, onde fica a estrutura de costura, os trabalhos também acontecem na Casa da Acolhida, onde estão localizadas a marcenaria e a fábrica de tijolos.

O diácono Petit, presidente da associação, conta que o projeto da ASTRAMA tinha a intenção de ensinar marcenaria para crianças. “Descobrimos que trabalhar com crianças seria muito burocrático, daí surgiu a ideia de trabalharmos com ex-presidiários”.

A produção na fábrica de tijolos e na marcenaria é feita, na sua maioria, por ex-presidiários, enquanto o trabalho de costura é feito por mulheres da comunidade. Petit conta que o trabalho com os egressos é uma oportunidade de integrá-los a sociedade.

astrama2-26-04-11Arquimedes, um dos trabalhadores da fabrica, explica que a produção dos tijolos é bem artesanal. “Temos que sentir a umidade da terra nas mãos, pra que o tijolo fique bom”.

Na fábrica de tijolos e na marcenaria, a produção é feita por encomenda. Já as costureiras vendem o que fabricam na feira que fica perto da paróquia.

Petit conta que a Justiça Federal doou o maquinário da marcenaria e da fábrica de tijolos, e a Caritas doou o espaço para as fábricas, local que divide na casa da Acolhida, do lar dos Franciscanos. As máquinas de costura, abrigadas na paróquia, foram doadas por empresas da cidade. O presidente explica também que os trabalhos acontecem em parceria com a UEPG.

A ASTRAMA fica localizada na igreja São José, na rua Princesa Isabel, onde abriga a oficina de costura. As fábricas de tijolos e marcenaria ficam na rua Dolaricio Ferreira, na mesma rua do Hospital Vicentino.