altCom novos funcionários, mais materiais e uma nova sede, a Astrama (Associação de Trabalhos Manuais) pretende em 2013 dinamizar sua produção. A Associação, que até o ano passado era vinculada à Paróquia São José, por falta de um espaço próprio mudou sua sede para o anexo de uma casa na vila Vicentina, no bairro de Uvaranas.

Além de fabricar tijolos ecológicos e possuir uma oficina de costura, a Marcenaria do Astrama também faz móveis para venda.

imagem1_reportagem2_diandranunesAs aulas do curso de marcenaria começaram em março e têm previsão de encerramento para o final de junho. Antes do término das atividades, a entidade doou os móveis produzidos para pessoas de baixa renda.

astrama1-20-12-11A Associação de Trabalhos Manuais São José (ASTRAMA) acredita no trabalho como possibilidade de reintegração social. Em um ano e meio trabalho, obteve 80% de êxito na ressocialização de egressos da Penitenciária Estadual de Ponta Grossa.

Trabalho possibilita construção de  um novo caminho

Em 2012, muda o processo de seleção de trabalhadores

Nova parceria amplia possibilidades para ASTRAMA

EDITORIAL: Oportunidade de ressocialização

 

 

astrama3-20-12-11A Associação de Trabalhos Manuais São José Artes em Tecido e Madeira (ASTRAMA), trabalha com egressos da Penitenciária Estadual do Paraná.

 

Até agora, quem tem interesse em se integrar deve, quando detento, participar das novenas realizadas todas as quartas- feiras: duas durante a manhã com o diácono Josuel e mais duas com o Diácono Pettit, à tarde.

Ano que vem, a ASTRAMA pretende implantar um curso de auxiliar de marcenaria, para egressos da penitenciária e pessoas em vulnerabilidade social. O curso será ministrado por um dos integrantes da associação, o Adão Rodrigues.

Adão trabalha há 15 anos com marcenaria e participa desde o começo dos trabalhos da ASTRAMA. Ele diz que a associação cria oportunidade para poder crescer.

"Eu tive a oportunidade de crescer como profissional, ser um cidadão bem visto pela sociedade, ter uma profissão e me destacar. agora vou ensinar isso para os outros", observa. 

O curso também tem o objetivo de agregar novos interessados ao trabalho da associação. "Como a Astrama tem essas duas 'pernas' (atender egressos e pessoas que estão em vulnerabilidade social), assim que der tudo certo, vamos abrir a escola de auxiliar de marceneiro. Os melhores serão agregados ao projeto", diz Pettit.

Próximo bloco: Nova parceria amplia possibilidades para ASTRAMA

Bloco anterior: Trabalho possibilita construção de um novo caminho