DSC 0016 900x602Os problemas psicológicos enfrentados pelos bancários estão associados a situações de stress e a rotina desgastante de trabalho. Com isso muitos trabalhadores apresentam quadros de ansiedade, depressão e até mesmo síndrome do pânico.

Os sintomas muitas vezes não são visíveis, pois varia em cada pessoa. Porém, podem ocorrer mudanças de comportamento como agressividade ou apatia.

Uma bancária que trabalhou mais de 10 anos na profissão e não quer se identificar revela a rotina desgastante nos bancos. “Todo dia passamos por uma pressão imensa, seja por resultados, mal humor de clientes e até mesmo risco de demissões”, desabafa.

Já para o bancário Élio Francisco, que trabalha na rede privada há 21 anos, são poucas as ações efetivas tomadas pelos bancos para proteger e garantir a saúde do trabalhador. Ele acrescenta que as reivindicações de greve geralmente não são atendidas. 

A assessoria de comunicação do Banco do Brasil informa que a instituição procura manter os ambientes de trabalho muito saudáveis, com adaptações nos caixas para prevenir lesões.

Além disso, em nota a assessoria afirma que todas as formas de assédio são repudiadas pelo banco. Já a assessoria da Caixa Econômica informa que os trabalhadores do banco tem apoio psicológico gratuito, além de palestras e oficinas de prevenção de doenças. Outros bancos foram contatados, mas não comentaram sobre o tema.

Editorial: A saúde dos bancários pede socorro

Bloco anterior: Bancários enfrentam problemas de saúde