O espaço ficou pequeno para um bando de pequenos leitores de Vila Oficinas, em Ponta Grossa. A residência do casal Lucélia Clarindo e Américo Nunes, pais do projeto Bando da Leitura, deve ganhar em breve a ampliação do ateliê de artes.

A grande novidade da obra, feita pela própria família, é que as paredes serão construídas com garrafas pet doadas pela comunidade.

“O espaço estava ficando pequeno para nossas propostas de aliar a literatura aos demais segmentos da arte. Com a ampliação poderemos fazer lá também as rodas de leitura e proporcionar mais de uma atividade ao mesmo tempo”, explica Lucélia.

Como o Bando da Leitura é um dos grandes parceiros do curso de Jornalismo da UEPG, os alunos e professores não poderiam ficar de fora desta construção. Para isso, o projeto Cultura Plural e o Centro Acadêmico João do Rio (Cajor) promovem esta semana o ‘Trote Solidário Cultural’, desenvolvido entre os calouros, veteranos, técnicos, professores e comunidade em geral.

Quem quiser ajudar deve entregar qualquer tipo de garrafa pet limpa na sede do Cajor, até a próxima segunda-feira, 11 de março. Vale de qualquer cor e tamanho.
 
Entrevista

Cultura Plural - Para você, qual o significado de ações como esta do Bando da Leitura, que surgem dentro das casas das pessoas, com a própria comunidade se movimentando para desenvolver ações culturais?

Lucélia Clarindo - Bem interessante mesmo. No meu caso, toda a família se envolve de certa maneira. Os sobrinhos que vêm me visitar já pedem para ir ao Bando da Leitura antes mesmo de entrar na minha casa. Acho que isso vai ficar na lembrança deles quando se tornarem adultos.

Acho muito bacana essas expressões culturais que costumo observar na casa das pessoas. Meus vizinhos costumam sentar em frente à casa deles para conversar e tomar chimarrão. Outra família vizinha também se reúne quase todos os domingos com amigos para tocar viola e formaram um grupo chamado Caipiraviola.

No meu bairro mesmo tem uma família de artistas, onde o pai é musico, a mãe escritora e as filhas bailarinas: eles também promovem cultura. O dono de um conjunto de sobrados batizou suas propriedades com o nome de artistas brasileiros como Tom Jobim, Cora Coralina e outros.

Ou seja, quem constrói já fica conhecendo, pois ele coloca nos tapumes informações sobre os artistas e quem mora então fica com esse nome em seu repertório cultural. Estas ações são muito significativas e fazem da nossa cidade uma cidade cidadã, onde o compartilhar cultura prevalece.
 
Programação
07/03 (quinta-feira) - 14h: Primeiro encontro do Bando da Leitura Adolescente (BLA)
13/03 (quarta-feira) - 14h: Festa no Bando da Leitura em homenagem aos seis anos, com a presença dos alunos da LBV e várias apresentações culturais
14/03 (quinta-feira) - 14h: Sarau de poesia em comemoração ao aniversário do Bando com a presença de alunos da escola Monteiro Lobato

Arquivo comunitário
08/06/2011 - Bando da Leitura incentiva o contato das crianças com os livros

Veja também, no Cultura Plural (vídeo legendado)
03/08/2011 - Iniciativa da professora aposentada Lucélia estimula a leitura e a criatividade de crianças do bairro Oficinas