O Bando da Leitura, grupo de ação voluntária de estímulo ao conhecimento literário determinada pelo Ministério da Cultura como Ponto de Leitura, realiza periodicamente ações em escolas e entidades, com o objetivo de proporcionar às crianças e adolescentes o gosto pelos livros, através das mais diferentes histórias.

 


No fim de outubro, Lucélia Clarindo, responsável pelo Bando, visitou a instituição comunitária Cidade dos Meninos, localizada no distrito Roxo Roiz, oito quilômetros do centro de Ponta Grossa, proporcionando uma tarde de lazer e aprendizado para as crianças do lar.

“As crianças descobrem na leitura um outro mundo e percebem que ler um livro é mais do que folhear as páginas, é criar, inventar e descobrir”, acrescenta Lucélia.


Educação, conforme o dicionário da Língua Portuguesa, é o “processo de desenvolvimento da capacidade física, intelectual ou moral da criança e do ser humano em geral, visando a melhor integração individual e social”. E esta é a responsabilidade, e um dos desafios, que os profissionais da educação carregam hoje.

A escola dá continuidade ao processo iniciado em casa, que é de preparação do indivíduo para a vida, tendo como base a disciplina, a responsabilidade, profissionalização e o estímulo ao exercício da cidadania.


“Hoje, a estrutura de ensino das escolas públicas são falhas, nos mais diversos pontos, então cabe ao professor ministrar uma aula com que os alunos se interesses”, comenta a professora da rede pública de ensino Naira Neves, que usa o teatro e a música para incentivar os alunos a gostarem de ir para a aula.


Difícil acesso aos livros ou falta de hábito em casa são obstáculos para desenvolver o gosto pela leitura. E é o prazer pelos livros que deve ser perseguido por programas de incentivo e políticas públicas que buscam aumentar o número de leitores no País – trabalho que fez com que o Bando da Leitura ganhasse reconhecimento do Ministério da Cultura.

Próximo bloco: Atividade de leitura desenvolve imaginação e criatividade