O documentário "Doze meses de resistência: A terra como horizonte de vida" será lançado oficialmente neste sábado, dia 08/07, às 18h, no Acampamento Maria Rosa Do Contestado (MST), em Castro.

Mídias populares

Apresentação

Contando com apenas uma unidade de saúde na região, moradores sofrem com a situação precária e a falta de atendimento

  

Contando com quatro grandes vilas, o Bairro Boa Vista, segundo dados do Censo 2010 do IBGE tem 24.968 habitantes. É um dos bairros de maior concentração da população pontagrossense, e sofre com a falta de unidades de saúde para atender os moradores. A única unidade existente no bairro é a Unidade Dr. José da Silva Ribeiro, localizada na vila Esplanada.

O espaço é pequeno e não suporta atender as outras três vilas do bairro. Além do mais, os moradores e funcionários do local, reclamam da falta de espaço para instalar mais equipamentos, como também para atender os pacientes, que chegam para aguardar atendimento durante a madrugada. “É complicado, a estrutura nossa é pequena e não dá pra atender muita gente, por isso que o povo costuma chegar bem cedo para conseguir ser atendida”, diz Ivonilde Aparecida, auxiliar de enfermagem no posto. A versão de Ivonilde é confirmada por Odete Moreira, moradora do bairro “Tenho criança pequena e quando preciso fazer uma consulta para um encaminhamento sempre é bem complicado, chego cedinho aqui e quando não posso eles me dão vaga por estar com o bebê”.

Em maio deste ano, a Prefeitura sancionou a lei que autorizava a ampliação de 12 Unidades Básicas de Saúde na cidade, além da construção de novas Unidades de saúde, sendo uma delas no Jardim Jacarandá. “É importante que essa unidade de saúde fique pronta o quanto antes, sempre que precisamos fazer uma visita ao médico temos que pegar ônibus. Agora a esperança é que fique bem mais fácil”, fala Osvaldo Ruth, presidente da Associação de Moradores do Jacarandá.

Próximo bloco: Obras estacionadas prejudicam moradores do Boa Vista

Editorial: 'Não sei, não trabalho aqui'