O documentário "Doze meses de resistência: A terra como horizonte de vida" será lançado oficialmente neste sábado, dia 08/07, às 18h, no Acampamento Maria Rosa Do Contestado (MST), em Castro.

Mídias populares

Apresentação

acessibilidade3-20-09-11A fiscalização das vagas reservadas para deficientes físicos ainda não é eficiente. “É impressionante a quantidade de pessoas que estacionam nas vagas voltadas exclusivamente para quem necessita. A desculpa sempre é a mesma: estou aqui só cinco minutinhos”, indigna-se Heuer, ressaltando: “já enfrentamos diversas situações como essa, até em lugares privados”.

Por isso, Noel Kostiuresko, presidente da Associação Pontagrossense de Esportes para Deficientes Físicos (APEDEF), abraça a campanha de conscientização do motorista. Ele acredita há um descaso para com o deficiente.

“Os cinco minutinhos são sempre a desculpa dos motoristas que ocupam as vagas exclusivas. É preciso lembrar que tais vagas não são deles, nem por cinco minutos”, complementa Noel.

O presidente da Associação dos Deficientes Físicos de Ponta Grossa (ADFPG), Marcos Aurélio Soares, reforça a reclamação. “Além de as vagas não serem respeitadas, parece que não há a preocupação de se cobrar e fiscalizar”, diz Soares.

Ele acredita que é a cultura da população e a falta de consciência que leva os motoristas a abusarem das vagas para deficientes. “Os motoristas que estacionam erroneamente não avaliam que um dia eles podem precisar desta vaga”.


Segundo a coordenadora do Estar de Ponta Grossa, Solange Lopes, os agentes de trânsito fiscalizam as vagas dentro da área do Estar apenas quando solicitados. “O Auto de infração é feito para quem descumprir a lei, no valor de R$56,20 e mais 3 pontos na carteira”, comenta.

Segundo Solange, existem 60 vagas reservadas para deficientes físicos e estão localizadas próximo a supermercados, casas lotéricas, farmácias e bancos. Para que o veículo possa circular com a credencial de cadeirante, o dono deve comparecer à Secretaria Municipal de Trânsito e preencher um cadastro. Posteriormente, é feito um laudo alegando a necessidade da vaga para deficientes físicos e, se comprovado, o motorista ganha o direito de usar as vagas reservadas.

Próximo bloco: Acessibilidade a todos

Bloco anterior: Manutenção também é importante