A cidade de Ponta Grossa possui cinco ciclovias. Uma das ciclovias fica localizada no Jardim Gralha Azul, outras duas nos bairros Jardim Planalto e Vila Idelmira,  uma quarta no Campus de Uvaranas (com 1,2 quilômetros de extensão) e uma quinta no Boa vista (com quatro quilômetros). No total, são 15 quilômetros de ciclovias espalhadas pela cidade.

Outras cidades no Estado do Paraná, com porte similar a Ponta Grossa, possuem esse espaço de locomoção alternativo. Porém, com extensão total similar ou inferior (da ciclovia), em Maringá, são 15 quilômetros e, em São José dos Pinhais, são apenas sete quilômetros.

Já na cidade de Londrina, são 17,7 quilômetros. Segundo a Prefeitura, a pretensão é expandir para 40 Km até o final de 2016.

O Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (Ippul) começou a mapear, em 2006, o perfil dos usuários das ciclovias. A entidade descobriu que são homens de 18 a 35 anos, em sua maioria trabalhadores, que utilizam as ciclovias para deslocamentos de até 10 quilômetros e de até 35 minutos por percurso.

Foz do Iguaçu possui uma extensão de sete quilômetros e Cascavel 12 quilômetros. Há ainda projeto de ciclovia, que ligará as duas cidades, com cerca de 160 quilômetros de extensão. A via circundará as margens do Parque Nacional do Iguaçu.

A concepção desse projeto é da Fundação Parque Tecnológico Itaipu e da Associação Comercial e Industrial de Cascavel (Acic). As informações são do Parque Itaipu.

Para o estudante em Engenharia de Tráfego, de Guarapuava, Daniel Gonzaga, a construção das ciclovias e a sua falta de interesse por parte da prefeitura e uso está na intenção de mera formalidade de um projeto de urbanização, sem o objetivo de resolver os problemas de locomoção da população, aponta.

 

Editorial: Prefeitura cria novas ciclovias apenas no papel

Arquivo Comunitário:

17/07/2012 - Estatuto da Cidade busca alternativas sustentáveis de planejamento urbano