Ao chegar ao Posto de Saúde do Jardim Esplanada, no bairro Boa Vista, a primeira cena com a qual se depara é a da longa fila de espera pelo lado de fora da unidade, com aproximadamente 20 pessoas em pé. Dentro do Posto, adultos, crianças, bebês e idosos esperam tanto em pé quanto sentados a serem atendidos.

 

No balcão de atendimento, os profissionais da saúde são rodeados por mães que pedem por agilidade no serviço. Usuária do Posto de Saúde do Esplanada, Ruth Nunes reclama da falta de médicos para o número de pacientes.

“O atendimento aqui é muito bom. Eles são educados e nos tratam bem. O problema é que é muita gente para poucos médicos”, explica Ruth. Moradora do Jardim Jacarandá, Ruth foi à unidade para consulta de seu filho. Por conta disso, ela conta como perde uma manhã inteira para acompanhar as crianças quando necessitam de atendimento médico.

Já o presidente da Associação de Moradores do Jardim Jacarandá, Osvaldo Ruth, reclama da dificuldade de acesso ao Posto, devido à distância: “Temos aqui grávidas, idosos, doentes. Se eles disponibilizassem pelo menos uma agente de saúde para nos atender já seria de bom tamanho”.

O gerente do Programa de Saúde da Família, Antonio Arinaldo, argumenta que a intenção é oferecer um serviço de qualidade, com atendimento rápido e médicos à disposição.

Próximo bloco: A saúde além do Boa Vista

Bloco anterior: PSF do Esplanada não consegue atender todo bairro Boa Vista