A praça reúne diversos problemas que incomodam os moradores da vila. A presidente da Associação Vila Izabel, Dirce do Nascimento, conta que, há pouco tempo, os moradores começaram a jogar lixo no local. As palavras vandalismo, depredação e sujeira definem a situação.

 

Dirce reclama que a praça é uma das mais abandonadas, por falta de manutenção da Prefeitura e também de ajuda da própria comunidade. “A praça precisa de manutenção em tudo. Ali quem cuida são os viciados. Aquelas árvores foram eles que plantaram”, relata Dirce.


O local onde foram plantadas as árvores ficou conhecido como Ilha. “Eles têm os bancos, eles assam as carnes, bebem, se drogam ali no canto da praça”, diz a moradora que preferiu não se identificar.


A comunidade reclama da falta de segurança. Durante a noite, ninguém passa pelo local, com medo de assaltos e furtos, frequentes na região.
Outro ponto em questão é a Academia da Terceira Idade. Dirce relata que há tempos a comunidade pede os equipamentos para que os idosos da região possam praticar exercícios. A idéia era colocar a academia dentro da associação.


A presidente da associação explica que, no ano passado, foi até a Prefeitura e encaminhou três protocolos solicitando a manutenção da praça e instalação da academia de idosos. Mas a única resposta que a Prefeitura deu foi que não há previsão para instalação dos equipamentos.


“Nós vamos fazer um abaixo assinado, porque estavam querendo colocar no CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), mas se colocarem ali ninguém vai usar. O certo é na praça ou na associação”, diz.

Próximo bloco: Praça como espaço de esporte e lazer