A Presidente da Sociedade afro-brasileira Cacique Pena Branca apresenta-se como defensa da cultura negra. Desde cedo Tânia Mara Batista possuía sinais de mediunidade e aos 14 anos, em Salvador, descobriu-se no Candomblé e direcionou seus dons.

A Sociedade Afro-Brasileira Cacique Pena Branca realiza dois eventos tradicionais neste mês de setembro, a Cavalgada e a festa de São Cosme e Damião, que são considerados os protetores das crianças.

Tânia Mara Batista, presidente da Sociedade Afro Brasileira Cacique Pena Branca recebeu, no dia 03 de maio, o prêmio "Anita Filipovski 2013", uma homenagem pela sua contribuição social.

A comunidade realizou a tradicional feijoada negreira na noite da segunda feira, dia 13 de maio, para marcar a data em que ocorreu a abolição da escravatura no ano de 1888. O evento aconteceu às 19 horas, no restaurante Cantinho da Sinhá.

Com a realização de um coquetel, a Sociedade Afro-Brasileira Cacique Pena Branca inaugurou, na tarde de ontem, 20/03, um novo espaço em sua sede. O Clube de Mães agora conta com uma cozinha e banheiros, inclusive um para pessoas com deficiência.