A reforma da unidade de saúde Dr. José Carlos Araújo deve estar concluída até o dia 24 deste mês. Embora tenha sido praticamente finalizada no ano passado, a obra foi suspensa em dezembro e retomada no último dia 7 de abril, pois ainda faltavam acabamento, movelaria e parte elétrica.
População fica cerca de um ano e meio sem parte dos serviços da unidade
Comunidade se mobiliza para exigir reabertura do postinho

O posto foi desativado em 2013 para as obras de reforma e ampliação, iniciadas naquele ano. Suas atividades foram transferidas para o Centro de Convivência do Idoso, que fica a menos de cem metros da sede da unidade. Em sua instalação provisória, a unidade de saúde passou a dividir  espaço com o Centro de Convivência e, às quintas-feiras, com o Clube de Mães. Cada um realiza suas atividades em espaços separados por divisórias feitas de compensado que apresentam marcas de infiltração.

Segundo o vereador Jorge da Farmácia, as obras foram paralisadas durante quatro meses por falta de pagamento da prefeitura à empreiteira. Ele conta que os pagamentos foram regularizados conforme o dinheiro do IPTU começou a entrar em caixa. O vereador afirma que a população cobrava atitudes dele e da prefeitura para que o posto de saúde voltasse a funcionar. As obras tinham, inicialmente, o prazo de conclusão previsto para novembro de 2014.

A reforma do posto, localizado na Rua Carajás, está sendo executada pela construtora Ponta Grossa Engenharia e custou, aos cofres públicos, cerca de R$ 355 mil. (R$ 355.508, 33).

No começo deste mês, pintura, cercamento, jardinagem, revestimento e parte elétrica já estavam concluídos, além das instalações sanitárias em banheiros e pias. Faltava apenas finalizar a instalação da movelaria e equipamentos médicos. A refrigeração, indispensável para o serviço de aplicação de  vacinas, também estava em andamento.

Na unidade, será implantado também o programa Saúde da Família, que foi regulamentado pelo Governo Federal para reorganizar a atenção básica à saúde no país. O programa busca dar um caráter mais humano e comunitário à saúde básica, com visitas a domicílio e atendimento diferenciado.

Segundo o coordenador de Atenção Primária da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Robson Xavier, essa estratégia envolve vários profissionais da saúde para servir melhor ao usuário, não apenas na estrutura, mas também com um atendimento humanizado. O vereador Jorge da Farmácia diz que está tentando adicionar um dentista ao projeto do posto, que não prevê atendimento odontológico regular.

População fica cerca de um ano e meio sem parte dos serviços da unidade
Comunidade se mobiliza para exigir reabertura do postinho

 

 Arquivo comunitário
10/09/2014 - Posto de Saúde do Cará-Cará atende em sede improvisada devido a atraso em obras
03/12/2013 - Unidade de Saúde do Cara-Cará será ampliada