A iniciativa reúne ativistas políticos em defesa da alteração da Lei 9.096 / 1995, também conhecida como Lei dos Partidos Políticos. Essa norma federal, no artigo 39, regula a doação por pessoas físicas e jurídicas a partidos políticos a fim de custear candidaturas a cargos políticos.

 

Segundo o presidente do Movimento Contra Corrupção Eleitoral (MCCE) de Ponta Grossa, Ermar  Toniolo, essa legislação fragiliza a verificação de campanhas que tenham recebido verbas de campanha ilegalmente.

O presidente conta que com a diferença de repasses de verbas para as campanhas,  pequenos partidos políticos ficam fragilizados em campanhas eleitorais. Com doações em massa para apenas grandes partidos, garante-se um monopólio político no Brasil.

O presidente do MCCE, conta que em épocas de campanhas eleitorais alguns partidos modificam as suas ideologias a fim de conseguir novos financiamentos. “O partido deve ter uma ideologia e deve defendê-la. Não pode mudar suas propostas por conveniência de eleições de momento econômico.”, afirma.

Ao afirmar que há muito poder nas mãos de poucos partidos, Ermar defende o repasse igualitário de verbas para as campanhas em período eleitoral. E destaca que o problema não é o alto número de partidos que existem, mas sim o modo de fazer política no nosso país que afeta essa distribuição.

Ele afirma que a sociedade também deve participar da vida política no país, para que esses paradigmas antigos sejam quebrados. “O que falta no país é a população se politizar um pouco mais. Tudo isso começa om um simples voto.”, relata.