O comércio de Ponta Grossa iniciou, na última semana, o atendimento em horário especial de Natal. No entanto, os comerciantes ainda estão insatisfeitos com o movimento deste ano. As vendas ainda não conseguiram superar o lucro obtido em 2014 e muitas lojas nem precisaram contratar novos funcionários.

 

Gerente de uma loja de calçados da cidade, Simone do Rocio Cordeiro, afirma que “o movimento este ano, em relação a dezembro do ano passado, está em queda. Se compararmos com novembro, melhorou, claro. As pessoas precisam comprar algum presente, mas ainda assim a movimentação não é muita”.


Sobre o horário estendido nas semanas de dezembro, Simone diz que as vendas cresceram razoavelmente. “Precisamos pensar que, mesmo com este horário alternativo, as vendas já estão difíceis, imagina se não tivéssemos. Não aumenta muito, mas ajuda”.


Segundo o presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio em Ponta Grossa (SECPG), João Vendelin, a intenção de estender o horário de atendimento é ajudar ambos os lados envolvidos.

“O horário de Natal ajuda as duas partes, o lojista e o consumidor. O vendedor tem mais tempo para oferecer a mercadoria e o comprador, que não tem tempo durante o dia, pode ir às compras à noite”, afirma Vendelin.


Muitos comerciantes, no entanto, não veem benefício em prolongar o atendimento. Para o lojista Conrado Diniz, “o horário de Natal não contribui para as vendas. Se o consumidor não tiver dinheiro, ele não irá comprar de qualquer forma”.

Arquivo comunitário:

08/12/2015 - Após impasse no reajuste salarial dos comerciários, tem início horário especial de Natal