Os dois primeiros meses de 2016 começaram com um déficit no número de empregados no setor varejista e supermercadista. Essas áreas do comércio de Ponta Grossa apresentaram o maior número de demissões registradas em 2015, com 1918 e 698 rescisões de contrato, respectivamente. A dispensa de funcionários soma um total de 63% dos ocorridos no comércio.
O Sindicato dos Empregados no Comércio de Ponta Grossa (SECPG) informa que esses números não mostram apenas a quantidade de trabalhadores demitidos. Além disso, mais de mil estabelecimentos foram fechados na cidade no ano passado.


O presidente do SECPG, João Vendelin Kieltyka, afirma que o motivo das demissões está relacionado à necessidade de cortar custos, principalmente no caso das rescisões que ocorreram no setor supermercadista.
Ele ressalta que esses acordos são comuns entre funcionários com mais tempo de empresa. “Só ano passado nós tivemos 847 rescisões com funcionários com mais de 4 anos na empresa”, revela Vendelin.
O presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas), José Carlos Loureiro acredita que a questão está ligada ao quadro de vendas. “A quantidade de funcionários varia conforme a venda por mês. Cada tantos mil vendidos representa um funcionário. Quando as vendas caem, o número de funcionários também cai”, afirma.
Fillipe Martins trabalha em um supermercado há três anos e meio e se preocupa com o cenário. “Não sabemos o que pode acontecer amanhã ou depois. Não há segurança de trabalho, mas continuamos fazendo nosso melhor”, comenta.

Arquivo Comunitário:

30/11/2014 - Trabalhadores do Comércio fecham ano com saldo positivo em PG

28/11/2014 - Setor supermercadista de PG apresenta mudanças contratuais