O número de rescisões de contrato de trabalhadores do comércio de Ponta Grossa, no ano de 2016, teve uma redução de 6,58% em relação a 2015, de acordo com levantamento realizado pelo Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Ponta Grossa. A queda foi de 273 demissões. Das nove categorias do comércio, seis apresentaram reduções nas demissões: varejo, farmácia, peças, móveis, concessionárias e materiais de construção.


A maior redução ocorreu no setor varejista, com 461 rescisões a menos. Entre os setores que apresentaram aumento nas demissões, o de mercado teve a maior alta, com 366 a mais, resultado do fechamento de um hipermercado na cidade.

De acordo com João Vendelin, presidente do Sindicato dos Comerciário de Ponta Grossa, as rescisões contratuais feitas em 2016 são de funcionários mais antigos. Para Vendelin, trata-se de uma reciclagem do quadro de funcionários, em que os trabalhadores com mais tempo na empresa são substituídos por pessoas que entraram há pouco tempo no estabelecimento.

“De tempos em tempos, as empresas promovem um recicle dos seus funcionários. Manda embora um mais velho, que ganha R$ 2 mil, R$ 2,5 mil e contrata um novo, que vai ganhar o piso”, avalia o presidente. Vendelin lembra que as rescisões que passam pelo Sindicato são as de trabalhadores que possuem mais de um ano de contrato.

Vendedor em uma loja de roupas na praça Barão do Rio Branco, Khalil Ibrahim Ajaime diz não sentir segurança, mesmo com a melhora nas estatísticas de demissões. “Não quer dizer que eu me sinta seguro, até porque eu não senti uma diferença no movimento. Esse é só um dos fatores que podem ajudar a melhorar”, afirma Ajaime.

 Arquivo Comunitário
27/12/2016 - Agência do Trabalhador registra redução de 22% na oferta de empregos
03/03/2016 - Setor supermercadista inicia o ano com 698 funcionários a menos que em 2015

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar