O número de reclamações aumentou em 80%, segundo o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Paraná, que passou a encaminhar as denúncias para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A empresa Postal Saúde administra, desde janeiro deste ano, o Plano de Assistência Médico-Hospitalar e Odontológica dos Correios.

“O sucateamento do nosso Plano, promovido pela administração da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT), está atingindo os ecetistas por todo o Brasil”, conta a carteira Ana Pereira da Silva.Para a carteira, a empresa dos Correios estaria satisfeita com os cortes no orçamento do Plano de Saúde: “Consideram que a saúde do trabalhador é custo, ao invés de ver como investimento em nossa qualidade de vida”, afirma Ana. 

A diretora do Sintcom de Ponta Grossa, Rosa Souza, fala sobre as reclamações: “Na nossa região, desde que o plano mudou, chegou a um aumento de 80% no número de queixas e ainda estamos sem atendimento pediátrico”, afirma.

Os principais problemas do novo Plano de Saúde seriam as áreas que eram cobertas anteriormente e que deixaram de existir com a reformulação. Outra complicação são os descredenciamentos de determinados hospitais, clínicas e médicos que passaram a não receber pagamento pelos serviços. Além disso, há a demora na liberação de cirurgias emergenciais.

A assessoria dos Correios de Ponta Grossa contesta as denúncias ao novo Plano de Saúde: “O que mudou foi a administração do Plano. A mudança tem o objetivo de melhorar o atendimento, dando maior assistência à saúde dos beneficiários, tornando-o mais dinâmico.”

O Sintcom-PR reitera a todos os funcionários que tiverem denúncias contra a Postal Saúde, que mandem as queixas para a  ANS, pelo telefone 0800 701 9656. Para o sindicato, essa iniciativa dos funcionários pressiona a administração dos Correios, gerando mudanças que realmente beneficiam os trabalhadores.