Prefeitura de Ponta Grossa comunicou que o evento não ocorrerá devido a cortes de gastos no orçamento municipal

A comunidade se preparou e auxiliou na construção de fantasias e carros alegóricos

Os desfiles de escola de samba e o carnaval de rua, tradições em Ponta Grossa, foram cancelados em 2017. A decisão tomada pela prefeitura foi informada, no último dia 20/02, pela Fundação Municipal de Cultura. O evento costumava acontecer durante cinco dias, de sexta-feira a terça-feira, na Avenida Vicente Machado e na Estação Saudade.

 Os representantes das escolas, que já estavam, desde março do ano passado, trabalhando na preparação do carnaval, ficaram surpresos com a notícia. “Faz 45 anos que tenho escola de samba aqui, em Ponta Grossa, e nunca avisaram, em cima da hora, que não teria verba para o carnaval. Não sabemos o que fazer agora”, afirma o presidente da escola Globo de Cristal, José Nilson dos Santos.

O diretor da Fundação Municipal de Cultura de Ponta Grossa, Eduardo Godoy, explica que a decisão, tomada pela prefeitura, ocorreu devido à falta de recursos e à contenção de gastos em todos os setores do poder público municipal. A medida, que a princípio é provisória, visa quitar as dívidas com os fornecedores. Dessa maneira, no próximo ano, o carnaval terá espaço novamente.

Segundo o tesoureiro da Liga das Organizações Carnavalescas, Alfredo Roque Leite, as escolas já realizaram gastos para o carnaval. Ele afirma que ninguém esperava o cancelamento em cima da hora. Caso ocorresse, Roque acreditava que seria avisado com antecedência. Como já estava tudo combinado com a prefeitura, a Liga, que trabalha durante o ano todo com a documentação, deu continuidade ao procedimento, assim como fizeram as escolas.

Desde o anúncio do cancelamento, os presidentes das escolas de samba tentam um acordo com o governo para que a tradição não seja interrompida. “Propusemos que fosse repassado R$ 5 mil para cada escola e que a Avenida Vicente Machado fosse aberta, pelo menos por um dia. Dessa forma, cada um pagava suas dívidas e poderíamos terminar os ajustes finais do desfile”, conta a presidente da escola Asas da Vila, Silvana Aparecida Gomes da Silva. No entanto, segundo ela, até o momento, não foi dada nenhuma resposta à proposta.

Sobre a tradição que é acompanhada por muitos da cidade, José Nilson afirma que “a população que vai à avenida é o nosso povo. São aquelas pessoas que não podem viajar para praia ou se associar a clube. Então, eles vão assistir aos desfiles das nossas escolas. No ano passado, tinham 30 mil pessoas. A prefeitura tem o ano inteiro para realizar outros eventos. O carnaval é uma vez por ano .”

Quando questionado sobre a falta de alguma manifestação carnavalesca na cidade, Godoy explica que o Núcleo de Alimentação para Eventos (Napes) realiza um Food Truck da Folia, com atrações culturais, do dia 24 a 28 de fevereiro, em frente à Estação Saudade. Entretanto, atividades tradicionais do carnaval ponta-grossense, como o desfile da Avenida, não acontecerão.

Ajustes da bateria da escola de samba do bairro de Olarias para o carnaval de rua

Preparação das fantasias da escola Águia de Ouro

Arquivo Portal comunitário
15/10/2015 - Escola de samba ponta-grossense tem pouca verba para realizar o carnaval de 2016
04/01/2014 - Escola de Samba Águia de Ouro resgata memória em Olarias