Os editoriais do Portal Comunitário me intrigam, porque oscilam na característica mais marcante de um texto desse tipo: o caráter opinativo. Não raro, eu vejo, nesse espaço, resumos da reportagem, apanhados dos principais aspectos do tema, compilações de história ou leis. Esses elementos servem para apresentar o texto, mas não dizem nada a respeito de quais são as cores das lentes pelas quais o Portal está olhando a vida na cidade.

 


Alguns editoriais são muito interessantes, como o “Paradas de ônibus no Cará-Cará”, que contextualiza o problema, analisa causas, levanta hipóteses e se posiciona claramente.

Outros, como o texto “A necessidade de inclusão das pessoas com deficiência”, a meu ver, poderiam fazer parte da reportagem, porque agregam informações a ela, mas pouco têm de posicionamento crítico.

Não estou falando de bandeiras políticas e ideológicas; não é necessário chegar a esse ponto. Porém, o projeto editorial do Portal tem seus objetivos que, somados a todo o trabalho de apuração em cada matéria, deveria gerar uma crítica, positiva ou negativa, um questionamento sobre o que está acontecendo e seus porquês. Somos jornalistas. Nosso trabalho profissional está relacionado com a capacidade e a curiosidade infinitas de olhar o mundo e se perguntar sempre por que as coisas são “assim e não assado”, de lembrar e ajudar os leitores a lembrar de conexões históricas e temáticas que contribuam para uma melhor compreensão da sociedade em que vivemos. Bons editoriais podem coroar o que as boas reportagens do Portal já vêm fazendo neste sentido.

Ana Cristina Suzina

 

Ana Cristina Suzina é defensora do(a) leitor(a) do Portal Comunitário e responsável por comentários, críticas e sugestões sobre conteúdos jornalísticos produzidos pela equipe do site. Na função de representante do(a) leitor(a), ela tem autonomia e liberdade para atuar no período de um ano, iniciado em 3 novembro de 2010.

Ana Cristina Suzina é pontagrossense, formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), em 1998. Atualmente reside em Bruxelas, na Bélgica, onde cursa mestrado na Universidade Católica de Louvain. Jornalista especializada em comunicação para o terceiro setor, trabalhou em organizações como Pastoral da Criança, Conselho Mundial da Água, Fórum Social Mundial, Fundação O Boticário de Proteção à Natureza e Fundação Telefônica. É também voluntária em instituições e movimentos ligados à comunicação e à cidadania.