Projeto, que disponibiliza produtos orgânicos na UEPG, complementa a renda de produtoras rurais da região dos Campos Gerais

Alimentos agroecológicos são entregues, toda semana, no Campus Central da UEPG

Terça-feira virou sinônimo de alimentação saudável. No Campus Central da UEPG, esse é o dia de entrega das ‘sacolonas’, como são conhecidas as sacolas retornáveis, feitas de material reciclável. Dentro, elas trazem legumes e verduras frescos e a comercialização faz parte de uma rede solidária que coloca em contato produtoras e consumidores de Ponta Grossa.

Os alimentos são produzidos por mulheres do pré-assentamento Emiliano Zapatta, localizado no município de Ponta Grossa. A cultura é feita a partir do conceito da agroecologia e, portanto, os alimentos são produzidos sem agrotóxicos.
Dona Genicilda Gotardo é uma das responsáveis pela entrega. A produtora rural informa que a iniciativa da venda de produtos orgânicos surgiu de um projeto da UEPG. Sob orientação Incubadora de Empreendimentos Solidários (Iesol), as produtoras se organizaram na Rede de Mulheres Produtoras em Agroecologia Emiliano Zapata.
“E ideia se baseou em modelo de agricultura agroecológica que veio da França e chegou, em Curitiba, via Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA). O modelo está se espalhando pelo estado inteiro”, explica.
A professora do Departamento de Jornalismo da UEPG, Hebe Gonçalves, faz a intermediação entre as produtoras e os consumidores. A docente relata que a ideia é garantir a geração de renda contínua para essas microprodutoras rurais.
Através do pagamento, feito mensalmente, de R$ 100, é possível receber uma sacola a cada semana. O pagamento também pode ser semanal, mas corre-se, neste caso, o risco de não ter cesta disponível. O controle do número de cestas que são oferecidas é feito por Hebe, a partir da demanda dos consumidores cadastrados.
“Para garantir que não haja desperdício, as pessoas confirmam, por e-mail, até a segunda-feira”, descreve. Os alimentos chegam fresquinhos ao Campus da UEPG, pois a colheita é feita, de acordo com a demanda identificada, no dia anterior, para entrega na terça-feira.
A consumidora Adriana Ferreira Ribeiro, que tem preferência por orgânicos, aderiu às ‘sacolonas’, desde o início do projeto. E ela não reclama do valor pago. “ O preço é justo. Ele está dentro daquilo que a gente paga pela maioria dos produtos que não são orgânicos”, ressalta.
Dona Genicilda conta que essa venda direta ajuda muito na renda dessas mulheres. Os produtos variam conforme a estação e, como não são produzidos em estufa, sofrem o efeito de geadas e de outras intempéries.
Além do Campus Central da UEPG, a entrega da sacolona também é feita na sede do SindUEPG e na FAUEPG. Confira, abaixo, os dias da semana e o horário em que o serviço delivery é realizado pela Rede de Mulheres Produtoras em Agroecologia Emiliano Zapata.
O cadastro pode ser feito, bem como informações podem ser obtidas, através do e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Serviço:

Entrega todas as terças-feiras:
- SINDUEPG - das dez horas às dez e trinta horas.
- FAUEPG (antigo pensionato das irmãs) - das dez e quarenta e cinco às onze e quinze da manhã.
- Campus Central da UEPG (pátio) - de meio-dia e meia a uma e meia da tarde.

Veja também:

18/05/2016 - Projeto ‘Sacola Agroecológica’ oferta orgânicos a preço acessível
15/12/2015 - Agricultoras incentivam a prática da agricultura familiar

06/10/2015: Brasil lidera ranking no uso de agrotóxico e malefícios denunciam a gravidade do excesso de venenos na agricultura

17/08/2015: Agricultores do Emiliano Zapata buscam selo de produto orgânico após jornada de agroecologia

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar