No mundo todo, projetos sociais funcionam como tentativa de escape a problemas de maior abrangência. No Parque Tarobá, vila do bairro Uvaranas, uma iniciativa esportiva veio com a intenção de incentivar a participação de crianças e jovens, e ao mesmo tempo, afastá-las do envolvimento com drogas.

 

 

O esporte escolhido é a capoeira, que além da parte física, tem uma grande influência no comportamento das crianças. Iniciativas como essa tem relevância nas comunidades. Moradores já relatam uma diminuição nas brigas em escolas, por exemplo.


No entanto, a falta de patrocínio, público ou privado, pode ser o fim para projetos de tamanho papel social. As aulas de capoeira, que contavam com patrocínio privado em seu princípio, perderam a colaboração recentemente. Com isso, o professor do projeto e alunos tiveram que parcelar o material, para não perder ítens de segurança para a prática do esporte.


Nesse impasse, a arrecadação popular é uma alternativa a apoios institucionais. No Parque Tarobá, os alunos promovem uma pastelada para arrecadar fundos para as graduações dos alunos. Através do apoio dos moradores, professores e idealizadores podem seguir realizando este trabalho, que tem formado crianças e jovens, na capoeira, e na vida.