Quando o Governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), decidiu mexer na previdência e dar calote no terço de férias dos servidores, mal sabia ele com quem estava lidando, e também quais seriam as consequências de suas ações. Os resultados foram quatro meses de greve, um massacre que manchou a história do estado, queda de reputação para governador e um ano letivo todo bagunçado.

Na UEPG, as aulas de 2015 vão até março de 2016. Isso por que, apesar das aulas ainda não acabarem em 2015, como deveriam, haverá recesso durante todo o mês de janeiro de 2016, como se nada tivesse acontecido. Nada contra as “férias” de janeiro, mas isso deixa o recesso entre os anos letivos de 15 e 16 com apenas uma semana de duração.

Estamos cansados de 2015, é verdade. Foi um ano comprido, intenso, emocionante. Se fosse um filme, mereceria um Oscar graças à sua dramaticidade. Mas para parte dos estudantes, seria ótimo que o ano letivo acabasse em 2015, ou que invadisse o mínimo possível do ano que

De qualquer forma, os servidores da Universidade estão satisfeitos e apoiam a parada em janeiro. Até porque, segundo o Sintespo, seus associados trabalharam 12 meses, apesar da greve, e têm o direito a férias remuneradas. Vale lembrar também que as aulas em 2015 se estendem até o dia 23 de dezembro, onde já estaremos todos com as uvas passas compradas para o almoço de natal. No entanto, o Restaurante Universitário deve funcionar apenas até o dia 11 para jantar, e até o dia 18 para almoço. Parece que alguém aí vai ter que cozinhar, nem que seja para fazer um miojo.