O Sindicato de Fiação e Tecelagem completa 25 anos, em 2013, e produzirá um documentário para comemorar a data. Uma festa será realizada para exibir o documentário aos trabalhadores novos e para todos que não conhecem a história do sindicato.

Além de recuperar a história, o vídeo tem outro objetivo: “pretendemos fazer uma lembrança para as pessoas que participaram desde o início do sindicato, como o Péricles, o João Luís, o Dr. Algenir, o Olindo de Oliveira”, defende o presidente do sindicato, João Eli Pereira.

O sindicato foi idealizado em 1986, quando se reuniram cerca de 300 pessoas para discutir a fundação. Na época, havia apenas um sindicato “classista” em Ponta Grossa, o dos vigilantes.

Em 1988, com a Nova Constituição, a carta sindical foi emitida pelo Ministério do Trabalho do Paraná. A partir daí, a associação se tornou sindicato.

A categoria, composta em 70% por mulheres, trabalha com malhas e fios e tem cerca de 600 sócios. O sindicato engloba 22 cidades e cobra 2% do salário mensal básico dos associados, taxa que é descontada na folha de pagamento.

O atual presidente, João Eli Pereira, atua como dirigente sindical desde 1991. Ele destaca que o principal objetivo do sindicato é a defesa dos direitos individuais e coletivos do trabalhador. Além disso, há a luta dos trabalhadores por transporte, saúde e educação.

Mauro Rodrigues de França participa do sindicato desde 1986, quando ainda era associação. Segundo o eletricista, as lutas do sindicato já o ajudaram. “Com o apoio do sindicato entramos com uma ação para receber adicional de periculosidade de 30% sobre o salário, e ganhamos esse direito”.