O Sindicato dos Frigoríficos acompanha constantemente o Matadouro Municipal da cidade que tem diversas infrações registradas e denúncias feitas à Procuradoria da Justiça do Trabalho.

Conforme investigações do Sindicato dos Frigoríficos, persistem as infrações trabalhistas e de segurança no Matadouro Municipal. O local criado em 1937, que atualmente é mantido por empresários do setor privado, tem cerca de 30 funcionários e distribui carne bovina e suína para toda a cidade.

Segundo o presidente do Sindicato dos Frigoríficos, Luis Pereira, denúncias sobre problemas no Matadouro foram encaminhadas para a Procuradoria da Justiça do Trabalho e o processo segue em andameto.

Luis explica que são feitas visitas mensalmente no Matadouro para levantamento de informações sobre a situação para que sejam direcionadas novas denúncias. “O monitoramento do Sindicato é constante, esse é nosso trabalho, cuidar e garantir os direitos dos trabalhadores”, diz.

Entre as infrações, está o atraso de pagamento de fundo de garantia, assédio moral, descuido com a saúde dos funcionários, que em caso de acidentes são precariamente atendidos no local, e férias não tiradas há pelo menos três anos.

Um ex-funcionário do Matadouro que não quis se identificar conta que já foi remanejado de função por ter se ausentado alguns dias mesmo estando com atestado. Segundo o funcionário essas medidas são tomadas como forma de “castigo” pelas ausências.

Como pontua Luis existe a dificuldade de prosseguir com as denúncias e processos por que os trabalhadores têm receio de perder o emprego. Segundo ele, os responsáveis pelo local afirmam estar se adaptando às exigências da Procuradoria e explicam que as infrações correspondem à administração anterior.

O funcionário da Procuradoria do Trabalho, Elson da Silva conta que as denúncias efetuadas são passadas para o procurador, que pode autuar ou arquivar o processo. “A procuradoria chama a empresa para audiência ou envia ofício para o Ministério do Trabalho fiscalizar o trâmite”, explica.

Arquivo Comunitário: Trabalhadores de frigoríficos lutam por Norma Regulamentadora