O Sindicato dos Frigoríficos de Ponta Grossa denunciou no mês de outubro a empresa alimentícia MD Foods, localizada no bairro de Oficinas, por conta de irregularidade no Banco de Horas da fábrica. A denúncia foi encaminhada a Procuradoria do Trabalho e ao Ministério do Trabalho.

{youtube} http://www.youtube.com/watch?v=md-Ig3E2i0I {/youtube}


Segundo o presidente do Sindicato, Luis Pereira, a MD Foods aplica a compensação de horas sem um acordo prévio com os funcionários. “ O Banco de Horas é uma medida que deveria ser proibida em alguns setores, como o nosso, pois o trabalho exige movimentos repetitivos, e é de direito do funcionário decidir se aceita cumprir com as horas extras”, afirma.


O Banco de Horas exige autorização por acordo coletivo ou assembléia, onde os funcionários decidem se são a favor ou não do sistema, como estabelecido na Lei 9.601/1998. A jornada é estendida por, no máximo, 2 horas diárias. Nesse caso as horas extras não serão remuneradas, mas sim compensadas com folgas correspondentes ou reduzidas nas horas de trabalho até a quitação dos excedentes.
Até o fechamento da matéria a empresa MD Foods não respondeu a equipe do Portal Comunitário.

Outro caso
Na última segunda e terça-feira, 21 e 22 de outubro, a empresa BR Foods realizou Assembléia com seus funcionários para acordar sobre a aplicação do Banco de Horas. Após votação, alguns setores como o Administrativo e Central de Logística votaram pela implantação. Os demais setores optaram por trabalhar sem Banco de Horas.

Arquivo Comunitário: Cartilha sobre a “NR 36” será distribuída aos trabalhadores do ramo alimentício em todo Paraná