altO Conjunto Habitacional Monteiro Lobato está completando, neste mês de março, 35 anos de história. Inaugurado em 1973, tem 765 apartamentos, 33 blocos e cerca de três mil moradores. Há unidades pequenas (60 m²), médias (80 m²), e grandes (90m²).

O síndico do Monteiro Lobato, Marcos Antônio Biscaia, conta que existem muitos problemas com os moradores e que administrar toda essa população não é uma tarefa fácil.

“É complicado, mas não é nada que não se resolva. Quando o problema não é com morador é com funcionário”, conta Biscaia. O condomínio possui 58 funcionários, que fazem os mais diversos tipos de serviço, como cortar a grama, limpar os blocos e atender todas as pessoas que entram e saem todos os dias.

Mas nem só de problemas ou dificuldades é feito o local. Uma das moradoras mais antigas, professora Elza Zardo, que vive no Monteiro Lobato há 34 anos, conta que viu o começo de tudo quando comprou um apartamento para um dos filhos morar.

Quando ele foi embora ela resolveu ir morar lá também. Ela diz que no lugar encontrou tranquilidade, por conta da área verde, segurança e amizade com os vizinhos. “O governo não terá condições de construir um novo núcleo com tudo o que nós temos aqui”, fala Elza, enfatizando: “eu amo o Monteiro Lobato”.

Morar em um lugar com tantos vizinhos exige algumas regras de convivência, e a principal delas é respeitar as pessoas, como diz José Olímpio Ferreira, morador do locar há 28 anos. “Eu gosto de morar aqui, porque aqui eu me sinto bem. Graças a Deus nunca tivemos problemas. Somos amigos de todos”.

O Conjunto Habitacional Monteiro Lobato fica no bairro Jardim Carvalho, na Rua Ver. Engenheiro Ernani Batista Ros, e a Associação de Moradores, que leva o mesmo nome, fica logo em frente.

Arquivo Comunitário: Bairro Jardim Carvalho tem novo conjunto residencial