Praca0131213Localizado na Rua Henrique Thielen, no Jardim Carvalho, o campinho de futebol da Praça Santo Antônio, vem sendo uma dor de cabeça para os pais das crianças que ali brincam. Isso porque, só no mês de agosto duas famílias reclamaram de acidentes com seus filhos no local.

Por mais que o complexo da praça esteja em boas condições de uso, o campo de futebol, com chão de areia, esconde cacos de vidro e galhos secos, que ocasionam ferimentos em quem joga bola no local. “Meu filho, de 7 anos, voltou para a casa com o pé sangrando depois de pisar em um vidro enquanto jogava bola”, registra a costureira Castorina Oliveira, 53 anos.

Estudante técnica em enfermagem, Letícia Leal, explica que além das infecções causadas pelo corte nos pés, jogar descalço, por exemplo, também pode ser fator para contrair doenças. “A areia contaminada pode trazer várias doenças, como a toxoplasmose, causada por um protozoário, através do contato com as fezes do gato.

Já as micoses são causadas por fungos, que podem comprometer a pele, o couro cabeludo e as unhas. Além do bicho geográfico, contraído pelo verme de cachorro”, explica Letícia.

A falta de iluminação na praça, também preocupa moradores, já que foram registrados assaltos no local. “Logo que anoitece, temos que voltar pra casa porque a fica perigosa e ficamos vulneráveis à violência”, comenta o aposentado João Henrique de Castro, 67 anos.

A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa é responsável pela manutenção do local e realiza constantes limpezas no espaço, o problema fica por conta dos vândalos que depredaram as grades do campinho e invadem o local. “Sempre organizamos campeonatos aqui e a prefeitura faz o papel dela, que é manter o local acessível, mas não podemos controlar quem usa aqui”, comenta o jogador de futebol Davi Miranda.

 

Arquivo Comunitário: Olho D'água São João Maria e sua tradição sociocultural em Ponta Grossa