A Escola Estadual Monteiro Lobato, localizada na Rua Amante Garcia, Jardim Carvalho, realiza, nesse sábado (23), torneio de xadrez para alunos, comunidade e demais escolas.

IPTUs de terrenos vendidos há dez anos permanecem em nome da Associação.

Leia também: UAMPG vai propor acordo para moradores dos terrenos

A Prefeitura retém as verbas para realizar melhorias no conjunto Baraúna por falta de presidência na Associação de Moradores. A última gestão, que renunciou ao cargo em agosto do ano passado, registrou reivindicações dos moradores, que foram levadas através da União das Associações dos Moradores de Ponta Grossa (UAMPG) para a Secretaria de Planejamento.  

“Ninguém quer assumir a associação por conta das dívidas deixadas por gestões de vários anos atrás, e, sem uma presidência, as verbas ficam retidas na Prefeitura”, explica a secretária de uma das gestões anteriores, Edna Mara Rodrigues de Paula. A diretora geral da UAMPG, Lusinete do Rossil dos Anjos, aponta que já foi criado um edital para eleição de uma presidência para a Associação em abril, mas nenhum grupo se registrou até o momento.

Arquivo Comunitário:Bairro Jardim Carvalho tem novo conjunto residencial

 

futsal6-16-12-11Região da cidade com mais equipes participantes nas últimas três temporadas no futsal amador de Ponta Grossa, o Núcleo Santa Mônica começa a colecionar bons resultados e a figurar na elite da modalidade na cidade, já que pode ter três equipe entre as 12 melhores do município no ano que vem.

A falta de limpeza em um lote que os moradores alegam ser de responsabilidade da Companhia Paranaense de Energia (Copel) propicia a criação e proliferação de animais peçonhentos, além se servir como lugar para despejo de entulhos.

altA vida de uma associação de moradores se baseia na realização de um trabalho junto à comunidade. No entanto, na Vila Liane, as iniciativas se concentram apenas na figura do presidente, a população não participa, e a sede é utilizada para bazares.

Formado em 2008 por um grupo de amigos, o Ajax Santa Mônica, em sua terceira participação na Copa Cidade, tenta se consolidar como uma das forças do futsal em Ponta Grossa. O time se empenha para no próximo semestre estar na primeira divisão.

O centro esportivo do Monteiro Lobato deve levar mais tempo e custar mais caro que o previsto para ser concluído, podendo ultrapassar 1 milhão de reais. Governo do Estado corta água, luz e alambrado do projeto com a justificativa de redução de gastos.

santamonica1-08-07-11Pela primeira vez em 2011, o Ginásio Arthur Pina recebe o tradicional torneio de futsal da Associação de Moradores do Jardim Santa Mônica. Os principais clubes do bairro, que disputam a Copa Cidade de Ponta Grossa, devem confirmar presença no torneio, que dá 20 kg de costela ao campeão.

As associações de moradores são responsáveis pela manutenção dos espaços de lazer nas vilas de Ponta Grossa. Porém, no residencial Monteiro Lobato, a situação é diferente desde que a atual gestão assumiu, em maio de 2009.

Alegando não ter obrigação de fazer manutenção das áreas que ficam dentro do condomínio, a responsabilidade pelos parquinhos e pelo campo de futebol de areia foi repassada à administração, que hoje deve mantê-los em bom estado.

O presidente da Associação de Moradores, Paulo Ricardo Bendix, afirma que a entidade não tem obrigação de cuidar das áreas, já que estão dentro dos muros do condomínio e, portanto, são de responsabilidade da administração.

“Essa situação poderia trazer até conflitos entre a administração e a associação de moradores, pois como é que diríamos que mandamos em tal lugar, se está dentro do condomínio?”, questiona.

Outro ponto que levou a associação a abrir mão das áreas de lazer do condomínio é o que Bendix chama de injustiça com os sócios. Segundo ele, não seria correto se o associado pagasse por algo que todos os moradores pudessem usufruir.

“Quem paga condomínio tem o direito de utilizar as áreas comuns, mas só os sócios estariam pagando pelos parquinhos e pelo campo de futebol de areia, caso fossem responsabilidade da associação”, afirma.

Orlando Teles Paulino, ex-presidente da associação, conta que não havia problemas em administrar a área. “Não existia conflito nenhum com a administração, pelo contrário, a síndica nos apoiava em qualquer reforma ou modificação que fazíamos”, relata.

Atualmente, o único espaço físico mantido pela associação de moradores é a própria sede, que conta com churrasqueira e salão de festas. Os moradores, sócios ou não, pagam para utilizá-la.

 

Próximo bloco: Governo libera verba para Centro Esportivo

Bloco anterior: Moradores do Monteiro Lobato enfrentam problemas nas áreas de lazer

 

jdcarvalho2-25-05-2011