Ulisses Massinhan é um dos personagens que deu vida aos dados sobre a violência de gênero.

 

A exposição fotográfica “Dados Vermelhos” teve abertura na noite dessa quinta-feira, dia 11, no Centro de Cultura de Ponta Grossa. As fotografias trazem militantes e defensores das causas ligadas à diversidade de gênero e dados sobre a violência contra lésbicas, gays, transexuais, travestis e mulheres.


As fotos foram produzidas pelas jornalistas Márcia Boroski e Eliane Schmitt, a partir de um projeto que iniciou há um ano. O nome da exposição, segundo Márcia Boroski, faz referência aos dados de violência, aqui representados com o nome ‘Vermelhos’. Elaine Schmitt afirma que a ideia surgiu dentro do Grupo de Pesquisa Jornalismo e Gênero, do Curso e do Mestrado em Jornalismo da UEPG.
  

 “No Grupo nós lemos muito sobre a violência de gênero e pensamos em unir a fotografia a esses dados. Para isso, precisávamos de pessoas que dessem ‘cara’ a essa ideia. Então, convidamos pessoas que, apesar de não serem, necessariamente, parte dessa estatística, são militantes e, a partir do retrato, unimos rostos aos dados”, explica.
    

Um dos personagens retratado foi Ulisses Massinhan (foto). Uli, como é conhecido, é vice-presidente do Grupo Renascer, formado em comunicação social e moda. Atualmente, ele se dedica às artes. Ulisses elogiou a ideia do evento, mas afirma que é triste vermos dados negativamente expressivos como os apresentados na exposição.
    

“O trabalho ficou lindo e foi um prazer fazer parte. Mas é triste termos que mostrar dados tão assustadores como esses. É assustador até mesmo para nós que lidamos com essa luta diariamente”, ressalta.

A abertura foi complementada com um debate a respeito da necessidade da militância de gênero. Debora Lee, criadora e coordenadora do Grupo Renascer, fez um relato sobre sua vida e falou sobre a importância de parcerias e de debates abertos como na ‘Dados Vermelhos’.

“Nós, militantes, sozinhos, não conseguimos nada. Precisamos de parcerias para fortalecer essa luta por direitos. Sem dúvida, essa exposição é um exemplo de parceria que dá visibilidade e voz para quem ainda sofre tanta discriminação da sociedade”, completa.

O debate contou ainda com a participação da professora do Grupo de Pesquisa Jornalismo e Gênero da UEPG, Paula Melani Rocha. ‘Dados Vermelhos’ segue no Centro de Cultura em exposição até o dia 21 de agosto.

O Centro de Cultura fica na Rua Doutor Colares, 436, Centro. A visitação pode ser feita de segunda à sexta, das 13h às 19h.

Participaram do debate a militância de gênero e coordenadora do Grupo Renascer, Debora Lee, e a professora do Grupo de Pesquisa Jornalismo e Gênero, da UEPG, Paula Melani Rocha.

Salvar