Representante da Associação Flor de Lis durante cerimônia de posse na presidência do Coped (Foto: Arquivo Flor de Lis)

 A nomeação da representante do Flor de Lis PG aconteceu na última semana, em evento realizado em Curitiba. Segundo a coordenadoria da Associação ponta-grossense, isso representa um avanço nas políticas públicas LGBT.


Em setembro, o Portal Comunitário publicou matéria relatando que a Associação havia conquistado uma cadeira no Conselho Permanente dos Direitos Humanos do Estado do Paraná (Coped). Segundo a coordenadora do Flor de Lis, Marcia Rodrigues, houve uma eleição, em que todas as organizações que compõem o Coped concorreram. A participação de todas as ONGs que compõem o cenário de organizações voltadas à temática dos direitos humanos se deu a partir de convocação feita pela Secretaria de Justiça.

Para Marcia, a eleição da Associação à presidência representa um progresso nas discussões sobre as questões LGBT. “É um avanço na luta por direitos e políticas públicas LGBT, principalmente nas demandas do interior do estado, que não chegavam à instância estadual”, avalia.

A coordenadora também reafirmou o papel geral da Associação como representante de todas as discriminações. “O objetivo é não ser apenas representante LGBT”, destacou, afirmando que a Flor de Lis irá atuar na luta pelos direitos de todas minorias que sofrem discriminação e preconceito.

Márcia cita ainda a necessidade de ações para assegurar direito à diversidade, sobretudo a diferença ligada à cor, raça, sexo e religião, bem como grupos de minorias vulneráveis.

A suplente da coordenadoria, Simone Carneiro, afirmou que a eleição significa que haverá uma cobrança efetiva dos direitos da população LGBT. “Com a nomeação teremos como cobrar ações e teremos a certeza que  pautas relativas aos direitos humanos serão colocados em prática nos campos gerais”.