Do Grupo Renascer, Debora Lee foi a representante no mandato 2015-2017 - Imagem: arquivo Portal Comunitário

 

Está prevista para setembro deste ano a definição da nova composição do Conselho Municipal LGBT de Ponta Grossa. A primeira eleição aconteceu em 2015, quando se deu a fundação da entidade. Com a aproximação do fim do mandato, já começam os preparativos para a escolha e nomeação dos novos integrantes.

A votação acontece em setembro deste ano durante uma conferência onde serão eleitos os próximo membros. Os novos integrantes serão responsáveis pelos assuntos relativos à comunidade e pela intervenção, com conversas, para resolver questões de interesse do grupo junto à Prefeitura de Ponta Grossa.

Apesar de o assunto ainda não ter sido aprofundado, quem vai poder se candidatar são pesoas da sociedade civil. Ou seja, poderão se candidatar pessoas que comparecerem à conferência, não precisando ser especificamente do grupo ou membro ativo dele. Qualquer pessoa que se interessar pela temática ou estiver engajado na comunidade LGBT, pode comparecer para  a votação e pode ser um novo membro do CMLGBT da cidade.

O CMLGBT é composto por 20 membros, sendo 10 representantes do Poder Executivo municipal e 10 representantes da sociedade civil, com mandato de dois anos. Funciona na forma de colegiado, sem hierarquia. São três representantes da sociedade civil organizada e dois representantes governamentais da Secretaria Municipal de Cidadania e Segurança Pública e da parte de Assistência Social.

O Conselho Municipal LGBT (CMLGBT) foi criado a partir da Lei Municipal 12.180, aprovada em 19 de junho 2015. Após reinvindicações da comunidade, a Câmara aprovou a Lei tornando Ponta Grossa a primeira cidade do estado do Paraná a ter um Conselho voltado para população LGBT.

O vereador Julio Küller, idealizador da lei, explica que partiu do Governo Federal a orientação de que houvesse discussões nas cidades de grande porte sobre a criação de um Conselho LGBT. “Acabei fazendo o projeto de criação do Conselho na Câmara de Ponta Grossa. Quando o pedido foi aprovado eu já tinha assumido o cargo de Secretário de Assistência Social”. Na ocasião da propositura, ele ainda ocupava o cargo de vereador.

A atual representante da sociedade civil no conselho, Lana De Cássia, ressalta a importância de uma nova gestão. “É importante que tenha um fluxo de conselheiros não sendo sempre os mesmos. Todos que se interessarem devem participar.”

Arquivo Portal Comunitário
23/10/2015 - Ponta Grossa elege membros do Conselho LGBT e define propostas para Conferência Estadual
13/08/2015 - Educação pública em Ponta Grossa sofre retrocesso nas discussões de gênero

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar