O Fórum das Águas dos Campos Gerais reuniu mais de 250 pessoas na tarde desta quinta-feira, dia 12, em uma passeata em defesa da área de mananciais Aquífero Furnas e de solução para o destino do lixo em Ponta Grossa. Os manifestantes se concentraram das 13h às 14h, em frente à Praça dos Polacos, no centro da cidade, e em seguida caminharam em direção à Câmara de Vereadores e Prefeitura Municipal.

 

Com a presença de representantes de diversas entidades sociais, os participantes do Ato em Defesa da Água permaneceram em frente do Palácio da Ronda até às 17h. O empreendimento denominado Complexo Eco Ambiental de Ponta Grossa (CEAPG) vem sendo construído pela empresa Ponta Grossa Ambiental (PGA), concessionária responsável pela coleta de lixo no município.

O Fórum das Águas denuncia que a PGA está recebendo o lixo de municípios vizinhos, como Carambeí e Palmeira. “Não podemos permitir que Ponta Grossa se transforme em Capital do Lixo”, disse o vereador Antônio Aguinel (PCdoB), ao microfone, em frente à Prefeitura.  

Durante a manifestação, representantes do Fórum das Águas foram recebidos pelo secretário Municipal de Meio Ambiente, Valdenor Paulo do Nascimento (Cenoura), com as seguintes reivindicações:  

  • construção de um aterro público em local adequado, conforme apontam estudos detalhados produzidos por pesquisadores da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG);
  • cancelamento do alvará de funcionamento do Complexo Eco Ambiental Ponta Grossa (CEAPG), com base no Plano Diretor Municipal;  
  • não deposição do lixo de Ponta Grossa no  CEAPG, com assinatura do Termo de Ajuste de Conduta (TAC) junto ao Ministério Público Estadual;  
  • estudos, monitoramento e busca de soluções para o aterro Botuquara; e
  • apoio, via Executivo e Legislativo, ao Projeto de Lei nº 444/2014, que proíbe a criação de aterro sanitário em área de proteção ambiental.  

De acordo com os representantes do Fórum das Águas, o secretário de Meio Ambiente afirmou que a Prefeitura já identificou três áreas alternativas, onde pode ser construído o empreendimento. Não chegou, entretanto, a especificar os locais.

O coordenador do Fórum das Águas, João Luiz Stefaniak, avaliou como positivo o encontro com o secretário. “Conseguimos pautar o governo e sensibilizar o poder público a buscar uma solução, tanto por parte do prefeito, quanto do secretário”. No dia anterior (11/02), representantes do Fórum das Águas já haviam se reunido com o prefeito Marcelo Rangel (PPS), quando apresentaram as mesmas reivindicações.

Stefaniak disse que o Fórum das Águas deu prazo até 9 de março para o retorno do secretário de Meio Ambiente com a solução para a questão do lixo em Ponta Grossa.

Nos dias 8 a 10 de março, o Fórum realiza o “I Seminário em Defesa das Águas”, no Auditório do PDE da UEPG, no campus Uvaranas. O evento contará com palestras de professores pesquisadores e representantes do Ministério Público e Procuradoria Federal para abordagem do problema da construção do aterro de lixo em Ponta Grossa.

Além de Stefaniak, participaram da reunião com o secretário de Meio Ambiente o professor do Departamento de Geociências da UEPG, Mario Sérgio de Melo; o vereador Antônio Aguinel (PCdoB) e representantes das seguintes entidades: Sindicato dos Professores e Técnicos da UEPG (Sintespo), Eugênio Francisco da Rosa; Associação dos Usuários do Transporte Coletivo de Ponta Grossa (Autrans), Luiz Carlos Gorchnski;  Laboratório de Mecanização Agrícola da UEPG (Lama), Guilherme Mazer; pré-assentamento Emiliano Zapata, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra  (MST), Célio Rodrigues; e União Municipal dos Estudantes Secundaristas (Umesp), Reinald Mendes.

MST reivindica água potável para pré-assentamento Emiliano Zapata

 

Arquivo comunitário
07/08/2014 - Construção de aterro sanitário próximo a aquífero deve ser retomada

07/09/2014 - Vereadores vetam regime de urgência para projeto que impede destinação de lixo em área do Botuquara

30/10/2014 - Ponta Grossa ainda não possui local correto para destinação do lixo