A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) apresentou para o Governo do Estado uma proposta de reclassificação de alguns trechos da Bacia do Rio Tibagi para o nível 4. Isto significa que alguns trechos da bacia não prestariam serviços à população da região dos Campos Gerais e do Norte do Paraná. O rio seria usado apenas para fins paisagísticos e de transporte fluvial.

Sanepar propõe reclassificação dos rios da bacia do Tibagi
Poluição de trechos da Bacia Rio Tibagi pode afetar áreas não poluídas
Editorial: Bebendo lixo

O processo de reclassificação do Tibagi para o nível 4 é discutido há mais de um ano. A proposta foi apresentada pelo Instituto das Águas do Paraná, responsável pela regulação e fiscalização do serviço de saneamento básico e pela autorização do uso de recursos hídricos de domínio do estado.

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), juntamente com o Instituto das Águas do Paraná, apresentaram proposta para reclassificar os rios da bacia hidrográfica do Tibagi para o nível 4, considerado o mais prejudicial aos mananciais. O Grupo Fórum das Águas realizou o 2° Seminário em Defesa das Águas dos Campos Gerais para debater e protestar contra a nova proposta.

Poluição de trechos da Bacia Rio Tibagi pode afetar áreas não poluídas
Proposta de Grupos Ambientais para reclassificação do Rio Tibagi é aceita pelo Governo
Editorial: Bebendo lixo

O Complexo Eco Ambiental Ponta Grossa (CEAPG), localizado numa Área de Preservação Ambiental, aguarda processo do Supremo Tribunal de Justiça que decidirá se as atividades no local poderão ter continuidade. O aterro está sobre áreas de preservação permanente e, além da localização a menos de 200 metros do Rio Verde, o aterro se encontra sobre áreas de recarga do Aquífero Furnas, manancial subterrâneo responsável por 20% da água consumida em Ponta Grossa.

Prefeitura e UEPG buscam alternativas para novo aterro em Ponta Grossa
Moradores de Ponta Grossa sofrem com falta d’água tratada desde o ano passado
Editorial: Futuro incerto onde há em abundância

Reportagem em áudio: {audio}http://www.portalcomunitario.jor.br/images/audio/2015/AterroSanitario-25-07-15.mp3{/audio}

A Gerência de Controle de Zoonoses iniciou em fevereito do ano passado a fiscalização e recolhimento de animais abandonados em áreas públicas na cidade de Ponta Grossa. Porém, um ano e meio depois, cavalos continuam nas ruas da cidade, causando acidentes, ou dependendo da iniciativa de moradores para evitar os riscos.