De acordo com a Lei nº 11.233 de 2012 a prefeitura da cidade de Ponta Grossa, juntamente com o Ministério Público, firmou um acordo de recolher, somente no ano de 2015, cerca de três mil animais abandonados. Esta medida, entretanto, não é suficiente.

A Associação de Proteção aos Animais de Ponta Grossa foi fundada este ano por Maria José Zimermann. A ONG faz o resgate de cães e gatos de rua abandonados e maltratados, cuidando do tratamento, recuperação e os encaminhando para a adoção.

Dona Maria de Lourdes, de 66 anos, vive em Ponta Grossa há cerca de 14 anos com sua filha e seus netos. Além disso, ela tem a companhia de seus animais de estimação: duas calopsitas e duas cadelas.

A Associação de Proteção aos Animais de Ponta Grossa (APA-PG), juntamente com o SOS Bichos, Grupo Fauna e outros grupos ambientalistas, participiu no último fim de semana, nos dias 3 e 4, do Findi Animal. O evento ocorreu na Estação Saudade e contou com caminhada, benção dos animais e apresentação de cães adestrados. Houve ainda feira de adoção de cachorros e de gatos que foram resgatados e tratados no abrigo da APA-PG.

 Crditos Nathlia  Oliveira

Segundo dados da Anvisa, desde 2011 o consumo de agrotóxicos no mundo cresceu. E o país que o ocupa o primeiro lugar da lista é o Brasil, por cinco anos consecutivos.  O Paraná é o terceiro estado brasileiro que mais utiliza defensivos agrícolas. Segundo pesquisa feita pelo Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal, nos últimos anos, a região movimentou cerca de U$1,35 bilhão no setor de agrotóxicos.