Cerca de 45 famílias do pré-assentamento Emiliano Zapata, em Ponta Grossa, participam da troca de experiências na produção de alimentos. O evento acontece na próxima quarta-feira, 16, no assentamento Contestado, na Lapa. No dia, os moradores das duas comunidades discutem propostas de melhorias no campo. 

Durante o período da manhã, os integrantes do Movimento dos Sem Terra (MST) assistem a  uma palestra com os membros da cooperativa Cooperafloresta. À tarde, as famílias do Emiliano vão observar como é feita a produção de alimentos agroecológicos. A atividade faz parte do projeto do Instituto Contestado de Agroecologia.

Desde o final do ano passado, os moradores do Emiliano Zapata deram início ao trabalho com a agroecologia, que é o termo usado para o cultivo de produtos que não prejudicam a natureza. Para transformar emprego e renda na agricultura familiar tradicional, o desafio da agrofloresta é conservar os recursos naturais.

Arquivo comunitário

08/11/2013 - Movimentos sociais combatem os transgênicos há 10 anos