Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocuparam na segunda-feira, dia 09, a sede da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Em torno de 150 pessoas que vivem no acampamento Emiliano Zapata se dirigiram ao local para exigir a documentação necessária para a regularização e assentamento da área em que vivem.

 Conforme informações do MST, a ocupação deste ano em frente à Embrapa é a sexta em 11 anos, em prol da mesma reivindicação. O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), responsável pela aquisição e desapropriação de áreas para reforma agrária, de acordo com o movimento, já realizou em 2007 um depósito no valor de 5 milhões de reais a fim do Título da Divida Agrária. 

Há 11 anos, o Emiliano Zapata funciona como acampamento para 48 famílias que integram o MST de Ponta Grossa. A área de 630 hectares, antes dedicada somente ao cultivo de soja, atualmente produz verduras e legumes para venda a partir do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), articulado pelo MST, além de abastecer feiras municipais.

Arquivo comunitário

25/04/2013 - Integrantes do MST cobram liberação de terras ocupadas há 10 anos

13/11/2008 - Terras do Acampamento Emiliano Zapata passam por medição