Na reunião dos representantes do Fórum das Águas com o secretário Municipal de Meio Ambiente, Valdenor Paulo do Nascimento (Cenoura), nesta quinta-feira, dia 12, o representante do pré-assentamento Emiliano Zapata, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) de Ponta Grossa, Célio Rodrigues, reivindicou também a solução para a falta de água potável na comunidade.

 

A reivindicação foi feita como parte das atividades do movimento contra a instalação de aterro de lixo na área de proteção ambiental Aquífero Furnas. Rodrigues disse que ficou satisfeito com o resultado da reunião:

“Pela primeira vez, fomos ouvidos pelo poder público local como cidadãos. Esperamos que nossa reivindicação seja atendida o mais rápido possível”.

Cerca de 50 famílias do pré-assentamento Emiliano Zapata vivem sem água potável desde 2003, quando da ocupação das terras da Fazenda Embrapa, na Rodovia do Talco.

Rodrigues destaca ainda a preocupação com as instalações do aterro de lixo próximo ao pré-assentamento Emiliano Zapata. Atualmente, a comunidade é afetada também pelo aterro Botuquara, com a contaminação das águas subterrâneas e o mau cheiro provocado pelo depósito de lixo na região, entre a Fazenda Escola da UEPG e Itaiacoca.

Fórum das Águas exige solução para destino do lixo em Ponta Grossa

Arquivo comunitário
29/08/2014 - Incra e Embrapa dizem que regularização da área do Zapata está parada na Prefeitura
05/04/2013 - Após 10 anos, Emiliano Zapata consegue energia elétrica para todas famílias