Foto: Arquivo Portal Comunitário

 

Os agricultores do Emiliano Zapata conseguem participar de ações promovidas no âmbito de políticas públicas do governo federal e até mesmo municipal, mas têm dificuldades em conseguir empréstimos no banco.

 

O Paraná é um estado pioneiro na compra de produtos da agricultura familiar, através de cooperativas e associações. A iniciativa cumpre o previsto na Lei 11.947 de 2009 que obriga estados e municípios a utilizarem, no mínimo, 30% dos recursos repassados pelo Governo Federal na compra de alimentos da agricultura familiar para alimentação escolar, segundo o site do governo estadual.

MST de Ponta Grossa complementa a renda com o fornecimento de alimentos agroecológicos para a merenda escolar

 

“Nós temos as políticas públicas, PAA e PNAE, e a venda direta. Agora direto do banco é só quando tem documento da terra”, descreve. Genicilda destaca que os agricultores do Emiliano Zapata participam ainda do projeto Feira Verde da Prefeitura de Ponta Grossa.

Através do Programa de Aquisição de Alimento (PAA), a Companhia Nacional de Abastecimento adquire produtos agropecuários. Através do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) é feita a aquisição de produtos de assentamentos de pequenos agricultores, o que se destina à merenda escolar.

Agricultura agroecológica: equilíbrio entre a terra e o homem

Embora adote a agroecologia, o Emiliano Zapata desenvolve agricultura camponesa e, como explica Genicilda, o método não se encaixa na agricultura familiar. “A gente está na agroecologia. A gente produz sem veneno. Já a agricultura familiar é de qualquer jeito. Então, nós temos uma preocupação a mais com o meio ambiente, com a natureza”, avalia.

A jornalista formada pela UEPG, Kyene Becker, é atualmente aluna do curso de Mestrado em Divulgação Científica e Cultura da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Em seu projeto de Trabalho de Conclusão de Curso, ela estudou os equívocos no tratamento do tema veículos jornalísticos brasileiro.

No projeto de dissertação, Kyene amplia a investigação. Ela explica que a  agricultura familiar tem como princípio a base familiar. Dessa forma, o núcleo familiar precisa participar do processo de produção. A diferença em relação à agricultura ecológica estaria, segundo ela, no tipo de manejo em que se evita o uso de agrotóxicos.

“A agricultura ecológica preza pelo equilíbrio homem e natureza. Nesse tipo de agricultura não há o uso de agrotóxicos, nem de fertilizantes químicos. Tudo é natural para evitar qualquer tipo de agressão a natureza”, explica.

 

Arquivo comunitário:

26/09/2016 - 'Sacolonas' une solidariedae e alimentação saudável.

 

Salvar

Salvar

Salvar