Disciplinas sem professores, ausência de laboratório, poucos docentes titulares, infraestrutura precária. Os estudantes de Letras da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) relatam uma série de problemas que enfrentam no curso. A reclamação mais recente é de que faltam professores para ministrar aulas em três disciplinas: Introdução à Linguística, Introdução à Língua Latina e Morfossintaxe.

 

Sem laboratório de telejornalismo há mais de dois anos, os estudantes de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) iniciaram na segunda-feira (11) uma série de mobilizações para exigir melhor estrutura no curso. Entre as ações, está prevista uma greve estudantil a ser deflagrada na terça-feira (19), caso as reivindicações não sejam atendidas. Os alunos exigem a imediata elaboração de uma planta para instalação de novos móveis e equipamentos no laboratório.

O laboratório de Telejornalismo do curso de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa está em reforma há mais de dois anos. Nesse período, pelo menos duas turmas tiveram aulas em locais improvisados e sem a estrutura adequada. Hoje, a obra está na fase de instalação elétrica. 

Luciano Vargas foi eleito reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) na última quinta-feira, 22/05. De acordo com o sistema eleitoral adotado na universidade, com voto paritário entre os segmentos de professores, agentes e estudantes, o candidato da chapa ‘UEPG Mais Perto de Você’ teve 44% dos votos válidos. Entretanto, se considerados votos diretos, a quantidade cai para 37%.

Luciano Sant’ana Vargas não cansa de afirmar que a Chapa 2, ‘UEPG Mais perto de Você’, não tem apenas um candidato nas eleições. De acordo com ele, em uma eventual vitória, devem assumir um reitor e uma reitora – no caso, a professora Gisele Quimelli, de Serviço Social, que oficialmente é candidata à vice.