mulheres1-13-03-12O I Colóquio Mulher e Sociedade reuniu cerca de 450 pessoas no Dia Internacional da Mulher para debater sobre políticas públicas e representações femininas. O evento aconteceu no grande auditório da UEPG e contou com a participação de estudantes, professores e comunidade.


 
O Dia Internacional da Mulher, 8 de março, foi marcado por palestras e debates do I Colóquio Mulher e Sociedade. Promovido pelo Grupo de Gênero e Mídia do Curso de Jornalismo da UEPG, o evento contou com palestras nos períodos da manhã e da noite, e participação de cerca de 450 pessoas.

Uma das coordenadoras do Grupo de Gênero e Mídia, professora Karina Janz Woitowicz, acredita que o evento superou todas as expectativas. "Nossa ideia era fazer um evento modesto, com o intuito de integrar alguns cursos, e a adesão foi muito boa", diz a professora. Outro ponto destacado por Karina é o espaço crescente para os estudos e debates de gênero na sociedade.

Com presença de alunos de vários cursos da UEPG, como Jornalismo, Serviço Social, Direito, Turismo, Letras e Geografia, o Colóquio pautou temas como a mulher na política brasileira, cotas raciais e a produção da mulher no âmbito acadêmico.

Aluna de Serviço Social, Leticia Correa ressalta a importância da palestra de abertura, com a historiadora Maria Antonia Marçal, sobre o tema da Mulher negra na sociedade brasileira. "Estamos estudando a temática em sala de aula. Foi importante poder discutir esta questão com outros alunos", afirma Leticia.

Para Lucélia de Fátima Rodrigues, aluna de Geografia da UEPG, a palestra do professor Emerson Cervi trouxe números relevantes e significativos que cooperaram para o entendimento da temática abordada: Mulheres e políticas públicas.

"A partir dos gráficos e números trazidos pelo professor, pude compreender sobre as políticas e mulheres. Muito interessante", diz Lucélia.

Roseli Stepurski, aluna de Jornalismo, destaca a palestra A mulher na academia, ministrada pela professora de Geografia, Joseli Silva. "Não tinha ideia da realidade das mulheres pesquisadoras, e como até a maneira de pesquisar é diferente entre homens e mulheres", afirma Roseli.

A coordenadora Karina Woitowicz diz que pretende dar regularidade ao evento, para continuar marcando o Dia Internacional da Mulher com palestras, discussões e debates de temáticas envolvendo gênero.

Veja também

08/03/2012 - Sociedade ainda impõe limites à cidadania das mulheres

09/03/2012 - O Dia Internacional da Mulher em imagens

31/08/2011 - 3ª Conferência Regional discute políticas públicas para mulheres