Integrantes do Coletivo Corina Portugal, que luta pelos direitos das mulheres em Ponta Grossa, se reuniram na última sexta-feira (22/02) com representantes do Poder Judiciário municipal e estadual, Conselho Municipal da Mulher, grupos de estudo e envolvidos com a causa para discutir a implantação de uma rede de enfrentamento à violência na cidade.

Integrantes do movimento em defesa dos direitos das mulheres em Ponta Grossa deram início às atividades que antecedem a realização da Marcha das Vadias no ano de 2013.

As ruas de Ponta Grossa foram tomadas no último dia 11 por um movimento que reivindica o fim da violência contra as mulheres. A 1ª Marcha das Vadias registrou adesão de homens, mulheres e famílias em um protesto marcado pela irreverência.

Neste sábado, mulheres e homens vão às ruas para reivindicar o fim da violência contra a mulher na Marcha das Vadias. Durante toda a semana, organizadoras promoveram atividades de conscientização e integração.

As organizadoras da “Marcha das Vadias” de Ponta Grossa se reúnem neste sábado, 30 de junho,no Sindicato dos Empregados do Comércio de Ponta Grossa (R. General Carneiro, nº 740) para decidir os próximos passos na construção da manifestação que acontece dia 11 de agosto. Na pauta da reunião consta a oficialização de uma carta-manifesto, propostas de arrecadação de dinheiro para financiar o movimento, determinação da rota da manifestação e a definição dos espaços de divulgação da marcha pela cidade.A ativista Ligiane de Meira convida todos os simpatizantes pela causa para participar do encontro. “Vai ser determinante para definir os primeiros passos na disseminação do manifesto pela cidade”. A organização também já definiu a data da oficina de estêncil para a confecção dos cartazes de divulgação da marcha, dia 28/07, em local a definir.