Na foto, o ambiente da festa, com varal de bandeirinhas e outros cordões decorativos, mesa com comidinhas e pessoas conversando
Além do relançamento do site, a festa do Portal buscou integração entre universidade e grupos da comunidade

 

O site do projeto de extensão Portal Comunitário, do Curso de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), foi reformulado para abrigar recursos que facilitem o acesso a pessoas com deficiências. Para marcar a reformulação foi realizada na noite desta sexta-feira, dia 15, o relançamento do site em uma festa julina na Estação Arte.


O evento teve a participação das entidades que o projeto acompanha. A Sociedade Afro-brasileira, o Grupo Muzenza de capoeira e produtores de hip-hop foram alguns dos grupos que marcaram presença.

Durante o evento aconteceram algumas apresentações culturais: o grupo Seresta Reviver, os rappers Two Clock e Malinari, o Grupo Muzenza de capoeira e o estudante de jornalismo Lucas Cabral.

Apresentação de capoeira, do Grupo Muzenza

 

O regente do Seresta Reviver, Renato Costa Pinto, disse que deveriam acontecer mais eventos como esse, para maior conhecimento mútuo dos projetos e lamentou a coincidência de datas com a passagem da tocha olímpica.

“Eu também dou aula na Apadevi e era para vir muita gente aqui, mas com o início das férias e a tocha, o pessoal acabou dispersando”, concluiu Renato.

 

Acessibilidade

O Portal Comunitário está no ar desde agosto de 2016. Nestes oito anos, conta com a parceria de mais de 60 grupos da comunidade (associações, ONGs, sindicatos e movimentos sociais).

Várias destas entidades se dedicam ao apoio e inclusão social de pessoas com deficiência, como a Apadevi, a Unidev, a ADFPG, a Apedef, a Assarte e a APACD. Para que os/as participantes destes grupos sejam também usuários do site e não somente tema e fonte de informações nas notícias, a equipe que faz o Portal tem buscado implantar mecanismos de acessibilidade.

Muitas foram as pesquisas e estudos dos padrões de acessibilidade estabelecidos pela W3C-WAI (WAI é a sigla do nome em inglês "Web Accessibility Initiative", órgão do Consórcio Internacional da World Wide Web, conhecido como W3C).

Finalmente, neste primeiro semestre de 2016, o site foi reinstalado com o desenho, características de estilo e estrutura de navegação que obedecem as diretrizes internacionais de garantia de acesso ao maior número de pessoas possível.

Assim, o Portal passou a contar com uma série de mecanismos de acessibilidade, entre os quais:

  • Estrutura semântica correta, validada pelo padrão HTML5;
  • Organização das páginas em blocos que facilitam o reconhecimento e usabilidade;
  • Opção de navegação somente pelo teclado;
  • Somente menus estendidos, com estrutura perceptível, em vez de menus dropdown;
  • Módulos com cabeçalhos identificáveis por software de leitura de tela;
  • Imagens e demais elementos gráficos com descrição em texto adequadas ao uso de leitores de tela;
  • Slideshow acessível (torna-se uma sequência de fotos, com as respectivas descrições,  quando acionado o "Alto Contraste");
  • Conteúdos em texto com alterativa em áudio (por exemplo, a seção de vagas de emprego);
  • Opção de estrutura "líquida" (flexível) ou "completa" (fixa, preenchendo toda a tela do usuário);
  • Opção de menos ou mais luminosidade na tela;
  • Para melhor legibilidade, três opções na apresentação das fontes (sem serifa, com serifa, ou em negrito);
  • Opção de aumentar ou diminuir o tamanho das letras;

Para a professora Cíntia Xavier, coordenadora do projeto, o trabalho não está terminado. Ela explica que a acessibilidade está sempre em construção. "Demos um passo importante, estamos conseguindo cumprir razoavelmente a legislação. Mas a garantia de acessibilidade é uma tarefa permanente que depende do empenho de todos. Não é uma coisa que se faz uma vez e está tudo certo e pronto".

De acordo com a professora, entre as tarefas que precisam de dedicação no dia a dia, está, por exemplo, a descrição do conteúdo de cada nova foto ou imagem que é postada. Sem a descrição, o aplicativo de leitura de tela ignora estes conteúdos.

"O próximo passo é pedir a avaliação de pessoas com diferentes características sensoriais. Com a identificação dos problemas ainda existentes, podemos trabalhar na sua correção", conclui.

Sobre a acessibilidade na internet, o Art. 63 do Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei nº13.146/2015) estabelece que:
"É obrigatória a acessibilidade nos sítios da internet mantidos por empresas com sede ou representação comercial no País ou por órgãos de governo, para uso da pessoa com deficiência, garantindo-lhe acesso às informações disponíveis, conforme as melhores práticas e diretrizes de acessibilidade adotadas internacionalmente."

De acordo com o W3C Brasil, o Desenho Universal é o fundamento mais importante para o conceito de acessibilidade:
"São sete os princípios do Desenho Universal:
• Equiparação nas possibilidades de uso: pode ser utilizado por qualquer usuário em condições equivalentes.
• Flexibilidade de uso: atende a uma ampla gama de indivíduos, preferências e habilidades individuais.
• Uso simples e intuitivo: fácil de compreender, independentemente da experiência do usuário, de seus conhecimentos, aptidões linguísticas ou nível de concentração.
• Informação perceptível: fornece de forma eficaz a informação necessária, quaisquer que  sejam as condições ambientais/físicas existentes ou as capacidades sensoriais do usuário.
• Tolerância ao erro: minimiza riscos e consequências negativas decorrentes de ações acidentais ou involuntárias.
• Mínimo esforço físico: pode ser utilizado de forma eficiente e confortável, com um mínimo de fadiga.
• Dimensão e espaço para uso e interação: espaço e dimensão adequados para a interação, o manuseio e a utilização, independentemente da estatura, da mobilidade ou da postura do usuário.

Ao clicar no canto superior direito da tela em Painel de Acessibilidade, o usuário encontra diversas opções para alterar desde o tamanho e luminosidade da tela até o tipo e tamanho das letras

 

Impressão de tela do site mostrando os players de áudio na seção de vagas de emprego e também no espaço jurídico
A presença de áudios como alternativa de acesso ao conteúdo é outro mecanismo que o Portal apresenta tanto em seções como a de vagas de emprego, como também no interior das reportagens

 

 

Na opção Alto Contraste, é apresentado ao usuário o slideshow desmontado com a descrição das imagens, assim como um cabeçalho em texto para cada elemento gráfico da página

 Veja também

Cartilha "Acessibilidade na web", de autoria do W3C Brasil

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar